Bitcoin - As barbaridades das palavras da ex-ministra das Finanças

Filipe Alves
Bitcoin - As barbaridades das palavras da ex-ministra das Finanças
Bitcoin e Manuela Ferreira Leite | Imagem @Adriano Miranda| Público

O Bitcoin é um assunto que começa a estar na moda nos últimos tempos. Aliás, já assumiu as proporções de culto. Ele e as demais criptomoedas. A rápida valorização fez com que as atenções se focassem nesta criptomoeda. Esta, acima de todas.

Também em Portugal o Bitcoin merece destaque. Na mais recente entrevista da TSF (podes ouvir no link ou no vídeo abaixo) a ex Ministra de Estado e das Finanças do XV Governo, Manuela Ferreira Leite, percebemos porque é que o "Ex" se deve intensificar. Também não é de estranhar, a volatilidade de todo este tema apanhou até os "experts" de surpresa.

Vê ainda: Vota nos prémios 4gnews! “Melhor Smartphone do Ano, Marca Revelação e Melhor Design”

Não sou dono da razão. Nem pretendo indicar que o meu conhecimento em economia é superior ao da Dra. Manuela Ferreira Leite. Só acho que quando convidada por uma rádio com reputação nacional, para opinar sobre um tema, este deva ter sido minimamente estudado. A seu favor, pouca ou nenhuma literatura existe sobre o tema.

Contudo, e porque há sempre um espaço de entendimento, há algo em que concordo com senhora ex-ministra. Quando Manuela Ferreira Leite refere que os investidores devem ter cautela com os investimentos, estamos na mesma página. As criptomoedas são voláteis, muito voláteis. Hoje o valor do Bitcoin desceu 1000$ no espaço de uma hora por exemplo. Mas quem garante que não desça com a mesma velocidade?

Ah, cara Manuela, o resto das opiniões fez-me questionar seriamente se as palavras "Blockchain" e "descentralizada" estavam no dicionário da doutora.

"...Depois, são moedas que não se pode fazer pagamentos" diz a Dra. Manuela ao 3º minuto da entrevista. Como podes ver no vídeo abaixo, fui ao restaurante, café e ainda fiz as compras para casa com Bitcoin. É verdade que os 200€ que gastei naquelas duas semanas em Bitcoin hoje valeriam quase 1000€, mas consegui fazer pagamentos e transações com Bitcoin sem o destinatário ter uma carteira.

Caso o destinatário tivesse uma carteira, mais simples seria. Entendo "pagamento" como o valor aceite em troca de um produto ou serviço. Caso a definição esteja minimamente correta, é possível fazer pagamentos com criptomoedas. Já por outro lado, não podes dar esmolas em Bitcoin ao santo da igreja. Tirando isso, podes perfeitamente fazer pagamentos.

No minuto 1:34 da entrevista a senhora ex-ministra refere que o Bitcoin enquanto criptomoeda é um ativo que nos traz "lucros fáceis e muito rápidos". É aqui que também tenho de discordar.

Crescimento da criptomoeda desde o seu lançamento

O Bitcoin não trouxe lucros grandes de forma rápida. A criptomoeda existe desde 2009. Quase 10 anos depois o valor de Bitcoin é considerável para ouvirmos a ex-ministra falar do assunto. Mas são quase 10 anos de espera para que os lucros realmente sejam grandes. Ou isso, ou investiram forte no início do ano quando estava nos 1000$. Tudo dependerá da tua lupa e do período em análise.

O medo da descentralização do Bitcoin é real

A excelentíssima senhora ex-ministra das Finanças refere ainda que a moeda não tem nenhuma entidade no meio para certificar os pagamentos! Aqui só tenho a dizer... Ainda bem!

A descentralização do Bitcoin deixa os banqueiros e os estados de Direito em estado de nervos. Ora, esta sua valorização só mostra o quão o "zé povinho" está farto de ser subtraído e delapidado pelas grandes entidades!

Mas "Não oferece segurança" diz a ex-ministra... E o BPN ou o BES? Ofereciam segurança? Bastante, até que um dia a casa veio abaixo. Factores que certamente contribuíram em Portugal para o sentimento de desconfiança perante a banca tradicional.

Contudo, há uma frase que me deixa a pensar seriamente na entrevista. Quando no minuto 2:10 a excelentíssima senhora Dra. Manuela Ferreira Leite diz que não sabe "onde está a racionalidade deste investimento".

Senhora doutora... Eu sei que durante anos e anos o governo se habituou a vigiar o que se passa nos bolsos portugueses. Sei que durante anos, os seus amigos do parlamento e banqueiros viram os juros a crescer. E os bolsos a aumentar. Sei ainda que durante anos vimos o nosso poder de compra desaparecer face à entrada no Euro. Onde está a racionalidade em tudo isso?

Ethereum e os SmartContracts são o futuro "middle man"

A segurança de pagamentos de Bitcoin ou qualquer outra moeda em Blockchain é maior do que qualquer outra. E se a senhora doutora quer argumentar que não há ninguém que se assegure que os pagamentos são feitos, aconselho-a a estudar Ethereum e SmartContracts na tecnologia Blockchain.

Contradizendo o que foi referido no minuto 3:09. "Não existe nenhuma proteção legal que garanta direitos de reembolso ao consumidor...Nada". Bitcoin talvez não, mas o Ethereum está a crescer e o assunto deveria ser referido como criptomoeda. Afinal de contas, há vida e criptomoedas para além da Bitcoin.

Bitcoin está neste momento avaliado nos 17 mil dólares

Blockchain e criptomoedas são tecnologias que todos banqueiros dizem que não vai a lado nenhum. Pois claro, não convém! Mas, ao mesmo tempo e paradoxalmente é uma tecnologia que os seus amigos começam a implementar nos seus bancos de forma a salvaguardar a informação e não irem à falência no futuro.

A ex-ministra refere que "Não há fundos para cobrir perdas, em caso de desvalorização parcial ou total eventuais perdas são todas suportadas pelo utilizador, é todo o risco para o lado do utilizador". Bem, é verdade. Pelo menos assim se a Bitcoin rebentar não sejam os portugueses a pagar com responsabilidade solidária por algo que não fizeram.

Se eu pegar em 1000 euros e me aventurar na FOREX e meter todos esse valor na prata. Se do dia para a noite a prata perde valor no mercado, quem é que me cobre as perdas? Por isso é que no início deste artigo referi que concordava quando dizia "invistam com cautela".

Não condeno a quando a Sra. Doutora Manuela tem uma opinião diferente da minha relativamente às criptomoedas. Mais precisamente Bitcoin. Já referi no passado que Bitcoin tem tudo para ser uma bolha e que os investidores deviam saber disso. Atualmente vive-se quase um culto...

E agora, em que ficamos senhora ministra, qual o futuro da Bitcoin?

Só não concordo que a ex-ministra da Finanças vá a uma rádio nacional de renome e com qualidade mostrada, falar de algo que simplesmente não estudou, pelo menos não na extensão desejada.

Até pode perceber muito de economia excelentíssima Sra. Doutora, mas no que toca a criptomoedas devia pesquisar um pouco antes de falar para a nação, ou para quem a quiser ouvir.

Não percas: Nobel da Economia, Joseph Stiglitz quer banir a Bitcoin

Assim sendo, caso esteja a ler este artigo, por favor tome um pouco do seu tempo para consultar os nossos artigos no segmento. Ensinamos como criar uma carteira, ensinamos como comprar os Bitcoin, referimos o quão isto tudo pode ser uma bolha e ainda lhe mostro a minha cara laroca a viver de Bitcoin durante duas semanas em vídeo aqui em baixo.

E outra coisa... Moedas digitais já existem há muito e são aceites pelos portugueses! Os pontos do cartão Continente são uma moeda digital e embora não tenha um banco no meio a gerir, podem ser aceites como forma de pagamento em locais destinados a tal. As criptomoedas tem uma grande diferença, são seguras e descentralizadas.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Inventor do BitTorrent anuncia Chia, concorrente da Bitcoin amigo do ambiente

Quase 4 Milhões de Bitcoins foram perdidos para sempre!

União Europeia quer acabar com o anonimato das criptomoedas

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.