SICAL lança gama de cafés com produção 'certificada' por Blockchain

Rui Bacelar
Comentar

A premissa é simples. Toda a produção, desde a planta até à chávena, está certificada através da blockchain pela Rainforest Alliance e pela IBM Food Trust. O objetivo? Acompanhar o processo de produção responsável da origem até ao momento da degustação.

Para a marca portuguesa, SICAL, esta é uma oportunidade de explorar as potencialidades da tecnologia blockchain e assim promover uma maior transparência junto do consumidor. Na prática, torna-se possível rastrear o percurso do grão até à chávena.

Gama de cafés SICAL é certificada pela tecnologia blockchain

SICAL café Blockchain

A marca de cafés portuguesa Sical, pertencente ao grupo Nestlé, deu agora a conhecer uma iniciativa peculiar (e única) no mercado do café. Em causa está a primeira edição limitada Sical BLOCKCHAIN.

Esta edição, Brasil Single Origin, inclui uma tecnologia Blockchain que permite a "rastreabilidade do grão de café desde a sua origem até à chávena", aponta a empresa.

Assim, dando pela primeira vez visibilidade ao consumidor de todo o processo, desde a cafeicultura ao transporte, torrefação e embalamento, para que o consumidor se sinta seguro com a sua escolha de café.

Auditoria e certificação pela Rainforest Alliance e pela IBM Food Trust

SICAL Blockchain

“É com orgulho que, com Sical, somos a primeira marca de café a trazer para o mercado português um café cuja cadeia de valor está totalmente transparente. Aqui desde o agricultor até ao consumidor final.", indica Tânia Jorge, Brand Manager da Sical no Retalho.

"Os consumidores de hoje procuram produtos de origem e produção responsáveis, que demonstrem respeito pelos seres humanos e pelo planeta. Querem sentir-se seguros com o café que bebem.”

“Para Sical é importante responder a estas preocupações, e por isso a marca decidiu lançar esta inovação única em Portugal - a primeira EDIÇÃO LIMITADA SICAL® BLOCKCHAIN.”, conclui Tânia Jorge.

Código QR na embalagem é o "passaporte digital" do lote Brasil Single Origin

Café SICAL Blockchain

Assim sendo, através do QR Code presente na embalagem, o consumidor será transportado para uma página no website da marca. Aí, com efeito, terá acesso a informações não só sobre a plantação e o agricultor, mas também o local e as datas de quando o café foi plantado.

Ademais, ficará a saber onde foi colhido e lavado, quando e para onde foi transportado, e finalmente, quando foi torrado e embalado na fábrica da Nestlé Portugal no Porto, especializada em cafés.

Para isso, importa frisar que toda a viagem é auditada e certificada pela Rainforest Alliance e pela IBM Food Trust. Assim, os consumidores podem encontrar disponíveis os relatórios de auditoria realizados e os respetivos certificados.

Edição limitada a embalagens de 200 gramas por 3,74 €

Portanto, com o objetivo de permitir aos amantes de café rastrearem os seus grãos de café desde a origem e dar visibilidade de toda a cadeia de valor deste café, este projeto tem também a capacidade de permitir a partilha de dados entre os agricultores.

Isto de forma a apoiar a tomada de decisões, a capacidade de identificar riscos da cadeia de produção e como consequência a melhoria de todos os processos de produção e distribuição de café.

Por fim, há mais produtos em Portugal a seguir esta tendência. Aliás, a cadeia Auchan já implementou um sistema similar, com recurso à blockchain, para produtos alimentares.

Em suma, estas embalagens de café SICAL já podem ser encontradas nos principais super e hipermercados em Portugal.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@4gnews.pt