Bitcoin - Queda de rompante é sinónimo de uma bolha prestes a rebentar?

Filipe Alves
Será o Bitcoin uma bolha? | Imagem @altcointoday

Já muito se falou de Bitcoin e a sua possível "bolha". Tal como aconteceu com produtos no passado (como o das tulipas ou até das empresas dotcom) teme-se que o Bitcoin seja uma bolha óbvia demais que está prestes a rebentar.

Antes que me comeces a criticar fortemente por esta ideologia, deixa-me dizer-te que sou um investidor de Bitcoin e criptomoedas, assim sendo, também estou a cruzar os dedos para que tal não aconteça.

Vê ainda: Como comprar Bitcoin com cartão de débito/crédito

Mas tomemos a ideologia da bolha por momentos. Este tipo de situações aconteceu no passado e os sintomas são basicamente os mesmos do Bitcoin. Temos pelo menos 3 indícios que este negócio da maior criptomoeda pode estar mais perto a rebentar que nunca.

  • Um crescimento absurdo nos últimos meses
  • A pouca fundamentação desse crescimento face à moeda real
  • Até pessoas sem conhecimento na matéria querem investir

Tudo isto aconteceu no passado, contudo, com produtos totalmente diferentes. No negócio dos "dotcom", que aconteceu nos inícios da internet, os investidores acreditaram que as empresas online conseguiram resolver todos os problemas e o crescimento aumentou de uma forma mágica.

Acreditava-se que nos anos 90 as empresas online conseguissem fazer o trabalho de uma "Amazon" e, embora tal se realizasse uma década depois, quase todas as empresas que foram fortemente capitalizadas na altura acabaram por ruir.

Depois temos ainda o negócio das tulipas. Este é ainda mais idêntico ao crescimento do Bitcoin nos dias de hoje. Durante alguns anos as tulipas chegaram a ter um valor acima da média (bem acima da média). Até que chegou o momento onde a maior parte da indústria ficou saturada. As tulipas deixaram de ser objecto de desejo e a bolha rebentou deixando uma Europa em problemas financeiros em 1600.

A Bolha das tulipas no gráfico acima e o gráfico do crescimento do Bitcoin @Coindesk

O Bitcoin tem um problema face a todas as outras bolhas existentes no passado. A criptomoeda é literalmente nada. Bitcoin é apenas a memória de transações de bitcoins. Tão simples quanto isso.

É verdade que a ideologia de blockchain e uma criptomoeda como Bitcoin promete uma sociedade mais justa. Promete uma simplicidade de transferência e taxas bem mais reduzidas do que as de agora, mas encaremos as coisas como elas são, a sociedade mundial não conseguirá viver diariamente com Bitcoin.

O Bitcoin, ao contrário de BitcoinCash ou até Dash, não tem velocidade de transações. É simples e barato fazer grandes transferências de valor, porém, não é rápido para pequenas transações porque foi feito para lidar com menos transações do que as que se passam hoje.

O mundo ficou maluco com criptomoedas e ainda bem! Pelo menos serve para mostrar aos governos e bancos que estamos fartos das suas capitalizações e taxas absurdas. O Bitcoin é uma bofetada de luva branca para os mais ricos e poderosos que controlavam a sociedade à custa dos demais.

Conseguirá o Bitcoin aguentar?

Com uma queda de quase 4000$ em apenas 2 dias, a criptomoeda está a estabilizar num valor de 14000$. Pessoalmente acho que esta queda é um alívio para quem está com medo da bolha. O Bitcoin entrará em breve na "bolsa de futuros", isto significa, que os investidores poderão brincar ao sobe e desce e lucrar com isso.

Se a maior criptomoeda do mundo é ou não uma bolha, só o tempo o dirá. Tens artigos que fundamentam bem o caso. Tanto de um ponto de vista como outro. Aquilo que aconselho é para investires com cautela. As criptomoedas são muito voláteis e não deves investir mais do que estás disposto a perder.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Coinbase é a aplicação que mais cresce na Apple App Store

14 mil utilizadores de bitcoins obrigados a revelar a sua identidade

Nobel da Economia, Joseph Stiglitz quer banir a criptomoeda

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.