Sabes tudo sobre Wi-Fi? 7 perguntas e respostas

Bruno Coelho

Usamos diariamente o Wi-Fi sem o questionar. Este ajuda-nos a estabelecer ligações sem fios de forma instantânea e acaba por funcionar mesmo que não sejas um especialista.

A grande questão que se coloca é: o que fazer quando o sinal é fraco? Como funcionam as soluções de mesa Wi-Fi? A Devolo responde a estas e outras perguntas no seu mais recente comunicado.

1. Afinal, o que é o Wi-Fi?

Assume-se como a abreviatura de “Wireless Fidelity”. O procedimento consiste em redes de rádio limitadas localmente, que por si só não estabelecem uma ligação online à Internet, mas sim ao router, que depois cria essa ligação.

O seu princípio básico é que um grande número de dispositivos eletrónicos possam ficar online através de ligações sem fios. A tecnologia Wi-Fi com especificações 822.11 foi lançada inicialmente em 1997 pelo Instituto de Engenheiros Eletrotécnicos e Eletrónicos (IEEE).

2. O que é o Wi-Fi 5 e o Wi-Fi 6?

Descomplicando, Wi-Fi 5 é basicamente outro nome para a especificação IEEE 802.11ac. Já o Wi-Fi 6 é o mesmo para IEEE 802.11ax. Embora o Wi-Fi 6 seja o mais recente e avançado, ainda não é suportado por muitos dispositivos, pelo que a velocidade máxima de transmissão teoricamente possível podem nem ser obtida.

3. Qual a diferença entre 2,4 GHz, 5 GHz e 6 GHz?

O Wi-Fi pode comunicar em três bandas de frequência: 2,4 GHz, 5 GHz e 6 GHz. E se te questionas qual delas é a melhor, a resposta é que isso depende das tuas necessidades.

Para começar, banda de frequência de 2,4 GHz tem um alcance maior, mas também é mais suscetível a problemas de congestão. Já as bandas de 5 GHz e 6 Ghz têm um alcance menor, mas permitem maior largura de banda e são menos suscetíveis a falhas.

Recomendam-se as bandas de 5 GHz e 6 GHz para aplicações onde há a necessidade de uma maior taxa de transmissão de dados e os dispositivos usados estão relativamente próximos uns dos outros. Já as bandas de 2,4 GHz são mais adequadas para garantir um acesso básico à Internet a distâncias maiores.

4. O Wi-Fi é seguro?

Há uma clara distinção entre redes públicas e privadas. Numa rede pública, deves permanecer cuidadoso. É recomendado que, se possível, não se usem aplicações sensíveis, como as bancárias, nestas redes.

Na tua rede sem fios, és o responsável pelo nível de segurança implementado. Os termos associados aos diferentes métodos de encriptação são os WEP, WPA, WPA2 e WPA3. O WEP, mais antigo, é considerado inseguro e não está atualização. Algo que também se aplica ao WPA.

Quanto aos WPA2 e o WPA3, são os mais recentes e seguros métodos de encriptação para redes domésticas sem fios. O WPA3 oferece um nível de segurança ligeiramente superior e também torna mais conveniente configurar uma rede sem fios. Mas o WPA2 continua a ser uma boa escolha para segurança Wi-Fi. Mas o primeiro passo é uma boa password.

5. O que pode levar a uma má receção Wi-Fi?

Paredes, tetos, mobílias, plantas ou águas são possíveis obstáculos que podem diminuir a cobertura das tuas ligações Wi-Fi. Posicionar o router de forma cuidadosa e estratégica vai ajudar a mitigar esse problema.

6. Como podes expandir a cobertura Wi-Fi?

Se a tua casa tiver um determinado tamanho, não é apenas com o router que vais conseguir fazer chegar o sinal Wi-Fi a toda a casa. É que aqui entram em cena as soluções de repetidores e powerline.

No caso dos repetidores, como o Wi-Fi 6 Repeater da Devolo que testámos recentemente, recebem o sinal existente do router e expandem-no, produzindo melhor cobertura.

Mas esta não é solução mais efetiva. Especialmente em longas distâncias, precisarias de vários repetidores ligados em série para resolver o problema. É aí que podem entrar em cenas a as powerline da série Magic da Devolo que já testámos no passado.

Estes são adaptadores compactos que são simplesmente ligados a uma tomada, tirando partido da rede elétrica para transmitir dados. De realçar que a ligação powerline não é afetada por paredes ou tetos e é ideal para longas distâncias. Normalmente disponibilizam ligação com fios ou sem fios.

7. O que é mesh Wi-Fi?

Basicamente, mesh Wi-Fi são redes domésticas inteligentes em que vários pontos de acesso Wi-Fi trabalham em conjunto através de interligações próximas. Desta forma, dispositivos móveis ligam-se sempre ao melhor ponto de acesso disponível porque a própria rede mesh gere esta ligação.

Numa rede Wi-Fi convencional, os dispositivos terminais se mantêm ligados a pontos de acesso menos que ideais mesmo quando existem melhores opções na proximidade. Percebes isso em situações como uma videochamada em que andas pela casa.

Esta tecnologia dá-te ainda acesso a "band steering” para seleção automática de bandas de frequência e “airtime fairness”. Em casas maiores com vários dispositivos terminais, esta conversão para mesh Wi-Fi pode valer a pena.

Caso não saibas, a Devolo é uma empresa alemã sediada em Aachen, tem desenvolvido tecnologia poderosa para rede inteligente há mais de 20 anos. Na atual série de produtos Magic temos, por exemplo, soluções flexíveis para a expansão precisa da rede através de powerline. Já o WiFi 6 Repeater 3000 e 5400 representam o estado da arte no que toca a repetidores Wi-Fi.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Colabora com a 4gnews desde 2017, e faz parte da redação desde 2019. Come especificações ao pequeno-almoço. brunocoelho@4gnews.pt