Xiaomi Redmi K50 atingiu número impressionante de vendas em 5 minutos

Bruno Coelho
Comentar

A Xiaomi já nos habituou ao sucesso imediato de alguns dos seus smartphones. E os mais recentes a cativar muitos compradores parecem ter sido os recém-lançados Redmi K50 e Redmi K50 Pro na China.

Os aparelhos foram colocados à venda nas últimas horas, como a fabricante havia previamente anunciado. Em publicação na rede social Weibo, a submarca da Xiaomi revelou os números impressionantes alcançados em apenas 5 minutos.

Redmi K50 vende mais de 330 mil unidades em apenas 5 minutos

Durante esse período, foram vendidas mais de 330 mil unidades da série Redmi K50. De realçar que estes números contemplam vendas dos Redmi K50 e Redmi K50 Pro, que para já são aparelhos exclusivos da China.

xiaomi Redmi
Redmi K50 vende mais de 330 mil unidades em apenas 5 minutos

O preço-qualidade terá sido um dos ingredientes a contribuir para o sucesso destes terminais. Isto porque o Redmi K50 com de 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento foi lançado no país por 2399 iuanes (343 euros).

O equipamento conta ainda com uma versão de 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento, a custar o equivalente 371 euros (2599 iuanes). A verso mais poderosa tem 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento e custa 2799 iuanes (400 euros).

O Redmi K50 Pro com 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento chegou ao mercado chinês por 2999 iuanes (428 euros) no modelo base. Tem ainda variantes de 8 GB + 256 (custa o equivalente a 471 euros), 12 GB + 256 GB (custa 514 euros) e 12 GB + 512 GB a custar 571 euros.

Recorde-se que o Redmi K50 é comandado pelo MediaTek Dimension 8100, enquanto o K50 Pro chega com o Dimensity 9000. A versão Pro destaca-se ainda por ter uma câmara principal de 108 MP e carregamento de 120W. Ambos os modelos chegam com painéis AMOLED de 120 Hz com resolução Quad HD+.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.