YouTube: 3 900 postos de trabalho e 50 milhões de euros gerados em Portugal

Rui Bacelar
Comentar

O YouTube nasceu como plataforma de entretenimento. Porém, com o decorrer do tempo e a explosão em popularidade, tornou-se numa das maiores "fábricas" de conteúdo de acesso gratuito, ainda que o real impacto na economia fosse de difícil aferição.

Agora, porém, a consultora independente Oxford Economics foi a responsável pelo estudo Da oportunidade ao impacto: avaliação dos benefícios económicos, sociais e culturais do YouTube em Portugal.

Sabemos assim, finalmente, qual o contributo da paltaforma de vídeos da Google na economia nacional.

YouTube contribui com 50 milhões de euros para a economia portuguesa e 3 900 postos de trabalho

YouTube Portugal
Podemos agora constatar que uma das principais conclusões aponta para que o ecossistema criativo do YouTube tenha contribuído com cerca de €50M para o Produto Interno Bruto Português (PIB) em 2020.

E, além do contributo financeiro, 3 900 postos de trabalho em Portugal (o equivalente a tempo completo) estão vinculados ao ecossistema do YouTube.

Para além disso, o estudo reforça também o papel do YouTube na internacionalização do conteúdo dos portugueses:

  • 72% dos criadores conseguem exportar conteúdo para audiências internacionais que, de outra forma, não conseguiriam alcançar

Os criadores no YouTube, sejam eles empreendedores criativos independentes, empresas de media ou empresas do setor da música, obtêm receitas diretamente do YouTube. Isto seja através da publicidade ou taxas de licenciamento.

Estes pagamentos representam não só um benefício imediato para os criadores. Porém, têm também um efeito multiplicador e de maior alcance pois permitem que os criadores possam comprar a empresas locais e nacionais.

Sejam mais e novos equipamentos - ou o material necessário para a produção dos seus vídeos (como ingredientes por exemplo, no caso de vídeos de culinária). Isto até contratarem talento local para tarefas como edição, produção, iluminação ou som para os seus vídeos que serão depois consumidos em Portugal e por esse mundo fora.

O YouTube é uma plataforma para empreendedores em Portugal

Os “empreendedores criativos” do YouTube aproveitam as oportunidades proporcionadas, tanto dentro como fora da plataforma. Isto para desenvolverem os seus negócios em Portugal.

Ademais, quando falamos de empreendedores, falamos de criadores, independentemente da identidade ou género, com um mínimo de 10 000 subscritores no seu canal.

Aqui, bem como criadores com menos subscritores e que obtêm receitas diretamente do YouTube ou de outras fontes de receitas graças aos seus vídeos. Criadores que, além disso, que empregam permanentemente outras pessoas para a realização dos seus vídeos.

As receitas fora da plataforma têm também um efeito adicional e multiplicador.

Um excelente exemplo disto é o Bruno Salgueiro, detentor do canal Dicas do Salgueiro (388k subscritores) que queria tornar-se personal trainer e encontrou no YouTube a plataforma para cumprir a sua ambição mas não só.

A sua exposição e sucesso no YouTube permitiram-lhe chegar a novas fontes de receitas.

Hoje, obtém também receitas de palestras que dá, do dinheiro pago pelos alunos para as aulas online através do seu website e também de acordos de product placement.

Em suma, o YouTube abre portas aos criadores portugueses para exportarem os seus conteúdos para uma audiência global de 2 mil milhões de pessoas.

O youTuber Nuno Agonia (1,54M subscritores) é exemplo de sucesso em Portugal

Tendo começado pelas suas análises de produtos e unboxings mais focados no entretenimento, a Forbes Portugal colocou-o como o oitavo maior perfil digital em Portugal num ranking que teve por base as visualizações por vídeo e o número de interações como os gostos e as partilhas.

Hoje, 65% dos subscritores e 51% das visualizações do seu canal vêm de fora de Portugal, revelam o poder do YouTube para internacionalizar canais mas também para abrir novas oportunidades de negócio para YouTubers.

O sucesso do canal no YouTube abriu-lhe novas portas, entre elas, estrear um programa próprio na televisão portuguesa chamado “Fora da Caixa”.

As conclusões do estudo foram aprofundadas no blog oficial da Google em Portugal, com mais métricas relevantes.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com a atualidade tecnológica na 4gnews. Email: ruibacelar@4gnews.pt