Realme C11: novo smartphone com super bateria e preço inacreditável!

Filipe Alves
Comentar

A Realme, submarca da OPPO, lançou um novo smartphone que promete competir com os equipamentos de gama de entrada da Xiaomi. O Realme C11 é um telemóvel simples com baixas especificações, contudo, com uma super bateria e um preço de encantar.

O novo terminal chega com especificações modestas, temos de perceber que o segmento de mercado que ele quer cativar, porém, dá-nos uma super bateria de 5000 mAh e um preço abaixo dos 100€.

Especificações do Realme C11

Realme C11

  • Ecrã 6.52" polegadas
  • Resolução HD+
  • Processador MediaTek Helio G35 a correr 2.3GHz
  • 2GB de memória RAM
  • 32GB de memória interna
  • Possibilidade de expansão via MicroSD
  • Câmara principal de 13MP + 2MP
  • Câamra frontal de 5MP
  • Bluetooth 5.0
  • Bateria de 5000 mAh
  • Carregamento de 10W
  • Android 10

Com estas especificações, percebemos que o sério concorrente do Realme C11 será o novo Redmi 9C. Um terminal que conta basicamente com as mesmas especificações deste equipamento.

Uma grande diferença é que este terminal não conta com um sensor biométrico e oferece-nos uma entrada de carregamento MicroUSB em vez de USB-C.

Será que este Realme C11 será vendido em Portugal?

Realme C11

Ainda não sabemos se o terminal terá a possibilidade de ser vendido para Portugal. O terminal é obviamente destinado ao mercado indiano. Porém, a Realme começa a vender os seus equipamentos no seu website para o nosso país. Assim sendo, é possível que o novo telemóvel venha a ser uma possibilidade de compra no nosso país.

Entretanto temos de aguardar. É bom ver as fabricantes a trazer equipamentos de baixo preço para um mercado que começa a ser esquecido. A verdade é que nem toda a gente precisa de um smartphone topo de gama no bolso.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.