Meta revela luva háptica que permite sentir objetos em Realidade Virtual

Mónica Marques
Comentar

A Meta, ex-Facebook, acaba de revelar o protótipo das suas luvas hápticas que permite aos utilizadores sentirem e interagirem com objetos virtuais na plataforma digital.

Quando colocadas, as luvas da Meta reproduzem sensações como textura, pressão e vibração. É caso para dizer, bem-vindos a uma nova dimensão.

Luva háptica da Meta permite interagir com objetos no mundo virtual

A Meta, empresa anteriormente conhecida por Facebook, acaba de revelar um dos seus projetos relacionados com Realidade Virtual. Ainda na fase de protótipo, as luvas hápticas permitem que o utilizador interaja e sinta objetos virtuais, quando está num espaço digital.

Fruto de um trabalho desenvolvido nos últimos sete anos pelo Reality Labs da empresa, as novas luvas proporcionam sensações, como textura, pressão e vibração, no mundo virtual. A Meta anunciou também que pretende que, no futuro, estas luvas hápticas sejam compatíveis com um headset de Realidade Virtual e com óculos de Realidade Aumentada.

No entanto, a Meta não consegue ainda fornecer uma data de lançamento para a chegada destas luvas ao utilizador final. Tudo porque a construção das mesmas exige a invenção de novos de pesquisa científica, explica a empresa.

Nova luva háptica da Meta fornece sensações à mão do utilizador

Além de ter partilhado um vídeo a mostrar as suas luvas hápticas em ação, a Meta esclareceu que estas estão equipadas com motores de plástico insufláveis que movem-se em conjunto para fornecer sensações à mão do utilizador. Esta ação é feita com a ajuda de microfluídicos que controlam o fluxo de ar que, por sua vez, movimenta os motores.

Para já, a Meta está a construir o primeiro processador microfluídico e a desenvolver tecnologia de rastreamento de mão, exatamente para que as suas luvas hápticas identifiquem a mão do utilizador no espaço virtual.

Apesar de estar ainda numa fase inicial, a Meta revela estar entusiasmada com os progressos feitos e com o potencial que tal equipamento pode ter num mundo virtual.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.