Google está a investigar os próprios executivos por alegações de assédio

António Guimarães
Comentar

Nenhuma empresa tem um ambiente perfeito de trabalho e a Google não escapa a essa afirmação. A Alphabet (conglomerado de empresas proprietário da Google) contratou uma firma de advogados externa para analisar casos de assédio sexual na empresa.

Contudo, não se tratam de funcionários da empresas mas executivos de alto nível. Desde responsáveis do departamento legal até um dos fundadores do Android, os casos estão a ser investigados por terceiros devido a suspeitas de que não estão a ser tomadas medidas suficientes.

Alguns dos casos remetem a 2013, sendo que a Alphabet pretende apurar as medidas tomadas e possívelmente reabrir os casos, se for necessário.

David Drummond e Andy Rubin são os casos mais mediáticos

O advogado e líder do departamento legal da Google David Drummond viu-se envolvido recentemente num escândalo sexual após ter sido confirmada a sua envolvência com várias colegas. Drummond traiu a sua esposa e teve um filho com Jennifer Blakely, uma das advogadas da equipa.

Relações pessoais entre gestores e membros da equipa são contra as regras dos recursos humanos da Google. No entanto, o caso foi "abafado" sendo que Blakely foi simplesmente colocada num departamento de vendas, enquanto Drummond manteve a sua posição.

Em relação a Andy Rubin, um dos fundadores do Android, o caso é mais "bicudo". Em 2013, Rubin supostamente convenceu uma colega de trabalho a fazer-lhe favores sexuais num quarto de hotel. O caso foi exposto pelo New York Times que levou à saida de Rubin da empresa, com uma indemnização de 90 milhões de dólares.

Em 2018, funcionários da empresa manifestaram-se

Há um ano, vários funcionários da Google reuniram-se em Nova Iorque para protestar a forma como a empresa lida com assédio sexual. O protesto inclui funcionários não só dos EUA mas também da Inglaterra, Alemanha e Japão.

Em resposta, Sundar Pichai declarou na altura que cerca de 48 funcionários de alto nível da empresa foram despedidos, devido a acusações de assédio. A situação parece não ter melhorado visto que a Alphabet decidiu entrar em acção legal e investigar os casos.


Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.