Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp prestes a serem banidas na Alemanha

Carlos Oliveira
Comentar

A BlackBerry levou recentemente a Facebook para tribunal, por causa de alguns dos seus populares serviços. Segundo a empresa canadiana, as aplicações Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp estão a infringir algumas das suas patentes.

Infelizmente não sabemos concretamente quais as patentes que a empresa de Mark Zuckerberg violou com estas aplicações. No entanto, é agora sabido que o tribunal germânico decidiu a favor das alegações da BlackBerry.

Messenger, WhatsApp, Instagram

As aplicações Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp estão em risco

Em resultado desta decisão judicial, três das mais populares aplicações no mundo podem ter os dias contados na Alemanha. Um porta-voz do tribunal refere "Pelo julgamento, é proibida a oferta e distribuição das aplicações acima mencionados na Alemanha, na medida em que utilizem as patentes."

Para já, os efeitos desta decisão terão consequências apenas na Alemanha, pelo facto de a BlackBerry ter submetido este caso num tribunal desse país. Caso a canadiana leve estas queixas para outros países, outros mercados podem ser afetados.

Parece-nos quase impensável ver aplicações como o Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp desaparecerem repentinamente do mercado. Ainda assim, caso a empresa não tome as medidas necessárias, tal poderá mesmo acontecer.

Facebook lutará até ao fim para evitar este banimento

Depois desta decisão, a empresa Facebook não demorou a reagir à sentença. "Planeamos adaptar os nossos produtos adequadamente para que possamos continuar a oferecê-los na Alemanha "

Como seria de esperar, a Facebook irá tomar as medidas necessárias para evitar os problemas legais que afetam as suas aplicações. Para isso, poderão ter de ser redesenhadas algumas das suas funcionalidades para que possam obter o aval das autoridades alemãs.

No pior dos casos - para a Facebook - a empresa poderá de ter de licenciar as patentes em causa. Essa manobra poderá acarretar custos elevados para a empresa, mas será melhor que desaparecer completamente do mercado.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.