Facebook ajudou rivais a crescer, mas não foi o suficiente

Rui Bacelar
Comentar

A rede social não terá poupado esforços para evitar as sendas da justiça norte-americana, em especial as acusações de concorrência desleal e prática monopolista. Segundo avança agora o Washington Post, o Facebook terá ajudado vários dos seus rivais.

Pequenas redes sociais e potenciais rivais da gigante Facebook terão recebido propostas aliciantes por parte da empresa de Mark Zuckerberg que lhes entregaria, por modestas quantias, parte do seu código para as ajudar a crescer e disputar o mercado.

O grupo Facebook não poupou esforços para evitar a Justiça

U.S. vs. Facebook: Inside the tech giant’s behind-the-scenes campaign to battle back antitrust lawsuits https://t.co/b92WxdPLM1

— The Washington Post (@washingtonpost) 22 de dezembro de 2020

Estando cientes que uma investigação por parte da justiça norte-americana era deveras provável, o grupo Facebook fez os possíveis para a adiar, ou evitar por completo. Teriam pouco sucesso nesta senda, tal como a história o viria a mostrar.

De qualquer modo, de acordo com fontes próximas do assunto, o licenciamento a preço baixo a potenciais rivais foi feito para reafirmar o "compromisso com a concorrência", tal como se pode ler na publicação original do "Post".

Infelizmente para o Facebook, os investigadores e prossecutores públicos consideraram magras as medidas tomadas pela rede social, com o licenciamento a baixo custo do seu algoritmo a pouco fazer pela saúde do mercado concorrencial.

A rede social é investigada nos Estados Unidos da América

Unindo 48 estados norte-americanos, a recente queixa conjunta coloca em xeque a aquisição do Instagram e WhatsApp. O caso foi previamente noticiado pela 4gnews, com a Europa a munir-se de novas medidas de regulação do mercado digital.

A gigante da Internet promete agora "defender-se vigorosamente", segundo declarações do porta-voz Chris Sgro à Engadget. O caso está agora entregue à justiça e, no pior dos cenários para Zuckerberg, pode obrigar à desmembração do seu império.

Certo é que nos últimos anos surgiram várias novas redes sociais, não que isso tenha feito perigar a posição do Facebook.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.