China. Donald Trump obriga a Microsoft a comprar o TikTok!

Vitor Urbano
2 comentários

Depois de várias ameaças de que ia banir o TikTok nos Estados Unidos, Donald Trump concedeu 45 dias a Satya Nadella — CEO da Microsoft — para conseguir comprar a polémica rede social chinesa. Depois de ter sido banido na Índia, tudo indica que o TikTok poderá estar cada vez mais próximo de se tornar uma aplicação exclusiva do mercado chinês, representando uma ameaça à privacidade de todos os seus utilizadores internacionais.

A Microsoft já confirmou oficialmente através de um comunicado publicado hoje que, vão continuar a negociar uma possível aquisição do TikTok, "sugerindo" uma possível participação de outros investidores americanos. De acordo com Donald Trump, a única forma do TikTok se manter ativo nos Estados Unidos é se, a Microsoft comprar a plataforma e garantir que os dados privados dos utilizadores estão seguros e nos Estados Unidos.

Donald Trump Microsoft TikTok China

Microsoft poderá não realizar uma compra total do TikTok

Ainda que Donald Trump tenha dado um prazo de 45 dias (até 15 de setembro) para que a Microsoft adquira o TikTok, parece que não exigiu que a empresa compre a totalidade da rede social. De acordo com os dados avançados pelo site TechCrunch, a Microsoft poderá comprar apenas a divisão do TikTok responsável pelas operações nos Estados Unidos, Austrália e a Nova Zelândia.

Caso se venha a confirmar estas limitações na aquisição, a ByteDance (empresa chinesa responsável pela plataforma) irá continuar a gerir a rede social em todos os mercados europeus, incluindo Portugal. Certamente que a possibilidade de "atacarem" a divisão responsável pela Índia é muito grande, sendo um mercado que poderia gerar grandes receitas à Microsoft.

Imprensa chinesa já respondeu às ameaças dos Estados Unidos

Depois de todas as informações publicadas ao longo dos últimos meses sobre o TikTok, não é com grande surpresa que vemos Donald Trump a querer banir a rede social dos Estados Unidos. De facto, não seria de estranhar se todos os países acabassem por seguir as pisadas da Índia, que já baniu o TikTok.

No entanto, a imprensa chinesa já respondeu às ameaças de Donald Trump, afirmando que este seria "um ato bárbaro de um governo desonesto".

Esta é uma acusação no mínimo caricata, especialmente se considerarmos que na China, todas as redes sociais "não-chinesas" estão banidas. O acesso a plataformas como o Twitter, Facebook ou Instagram é proibido.

Antes de ires, descobre as melhores alternativas ao WhatsApp. Aproveita ainda para ver a lista de canais online grátis, isto se quiseres ver TV online em Portugal.

Editores 4gnews recomendam:

Vitor Urbano
Vitor Urbano
Sempre de mão-dada esteve a tecnologia, o desporto e o mundo gaming. Por isso, se não estiver a escrever sobre o que de novo há no mundo da tecnologia, o mais provável é estar a jogar uma partida de Ultimate Team no FIFA 19.