A Asus tem vindo, desde o último ano, a querer conquistar o mundo dos smartphones com o seu Asus Zenfone 3 e suas variantes. A marca de Taipé está tão empenhada em fazer destes equipamentos um sucesso que ainda hoje, quase um ano após o lançamento da gama Zenfone 3, continua a brindar-nos com novos equipamentos.

Ainda que em Portugal não tenha o mesmo impacto, este segmento de smartphones é bastante apreciado pelos nossos irmãos do Brasil, por exemplo. Para quem nos segue atentamente, certamente já teve oportunidade de ler alguns artigos em que mostro o meu descontentamento com este smartphone tendo sempre como base a experiência pessoal.

   

Vê também: Asus Zenfone 3 – decepcionante após 6 meses de uso
Ora, um dos motivos que me levaram a escrever o artigo acima sugerido foi a perda de desempenho face ao desempenho que tinha com o Android Marshmallow e os vários bugs de software que a atualização para o Nougat trouxeram a este equipamento. Quanto aos bugs, parecem-me ter sido uma boa parte deles corrigidos na atualização mais recente que este equipamento recebeu.

Asus Zenfone 3 com “fecho inesperado de aplicações” e crash´s irritantes…

No entanto, no que ao desempenho diz respeito, constatava que esse não havia melhorado ainda que, pelo menos aparentemente, a gestão de memória RAM tenha sido bastante aprimorada nesta última atualização de software. Indignado com o “fecho inesperado de aplicações” e crash´s irritantes que muitas vezes nem ao painel de notificações te permitiam aceder, decidi tentar perceber a fonte do problema.

Depois de alguma análise ao comportamento do equipamento, acreditava que talvez as aplicações “Gestor de tarefas” e “Gestor do Telemóvel” fossem as responsáveis pela fluidez pouco satisfatória do meu equipamento. Assim sendo, decidi fazer os seguintes passos: ir às definições, aplicações, ir aos três pontinhos do canto superior direito e seleccionar a opção “mostrar sistema” e, por fim, desativar as aplicações atrás referidas. Para quem tem o sistema operativo em PT-BR, as aplicações a desativar têm um nome ligeiramente diferente: gerenciador de tarefas e gerenciador de celular. Porém, os passos para desativar são exatamente os mesmos.

Este tipo de aplicações são completamente dispensáveis

Pois bem, mal voltei novamente ao menu principal do meu Asus Zenfone 3, facilmente constatei que o meu equipamento tinha um outro desempenho, pelo menos no que respeita a fluidez entre menus. Aparentemente os bugs com a barra de notificações também acabaram. Sinceramente, a minha experiência pessoal diz-me que este tipos de aplicações (meio que a roçar o bloatware), são completamente dispensáveis dos equipamentos e muitas vezes fazem o contrário do equipamento. Quando prometem mais fluidez para um equipamento, por exemplo, muitas vezes só o tornam mais lento.

Ainda que não tenha testado se isto interfere algo com a autonomia da bateria, se sentes que o teu equipamento não está a ter um desempenho digno de honrar o processador Qualcomm Snapdragon 625 que carrega, experimenta desativar as aplicações que acima referi e, provavelmente, sentirás uma melhoria significativa.

Outros artigos relevantes:

London Bridge: Facebook Safety Check é activada depois de ataque terrorista

Motorola Moto X Play recebe actualização para Android 7.1.1 Nougat

Xiaomi Mi 6 | Unboxing e primeiras impressões do flagship da Xiaomi


Fonte4gnews.pt
Estudante de Direito e amante de tecnologia. Tudo o que é inovador na vida atrai-me (menos comida muito "fora do normal"). No meio tecnológico, aprecio particularmente smartphones, computadores e automóveis. Integrar a equipa da 4gnews começou por ser um desafio pessoal e agora é um orgulho coletivo.