Apple regista lucros mirabolantes com os novos iPhone 14

Rui Bacelar
Comentar

A Apple é a empresa mais valiosa do mundo, continuando a crescer independentemente da conjetura económica mundial. Apesar do declínio do mercado de dispositivos móveis, com quebras próximas dos 10% segundo a IDC, OMdia e outras agências de análise de mercado, graças aos novos Apple iPhone 14 a empresa de Tim Cook volta fazer manchetes pelas melhores razões.

A gigante de Cupertino divulgou recentemente o seu relatório fiscal alusivo ao mais recente trimestre fiscal de 2022 que terminou em setembro último. Os resultados? Um valor astronómico de receitas, mais de 90,15 mil milhões de dólares, sensivelmente o mesmo valor em euros, obtidos ao longo de um período de 3 meses.

Tim Cook e o seu toque de Midas com os Apple iPhone 14

Apple iPhone 14

Em primeiro lugar, importa notar que este novo recorde de receitas obtidas num único trimestre foi divulgado no dia 27 de outubro, pela própria empresa. O período em análise contempla os três últimos meses, com término das operações a 24 de setembro de 2022.

Foi assim que, entre os meses de julho, agosto e setembro (até ao dia 24) de 2022, a Apple granjeou mais de 90,1 mil milhões de dólares em receitas. De acordo com a própria gigante de Cupertino, foi um aumento de 8% registado na entrada de capital nos seus cofres.

Os resultados deste trimestre refletem a dedicação da Apple para com os seus clientes, bem como a demanda pela inovação, além da vontade de deixar o mundo um local melhor", refere Tim Cook.

Inovação, sustentabilidade e acessibilidade, os pilares de Cook

"À medida que nos aproximamos da época festiva, lideramos com os nossos valores em todas as ações que tomamos e decisões estratégicas. Estamos profundamente empenhados em proteger o ambiente, em garantir a privacidade dos utilizadores e fortalecer a acessibilidade. Queremos criar produtos e serviços que desbloqueiem o pleno potencial criativo do ser humano", acrescenta o CEO.

Fighting climate change is one of Apple’s most urgent priorities. We set an ambitious goal to be carbon neutral across our supply chain by 2030, and we are committed to working with our suppliers to make that a reality. https://t.co/CZUVlQUEaK

— Tim Cook (@tim_cook) 25 de outubro de 2022

O executivo da tecnológica de Cupertino continua a liderar a empresa rumo a novos patamares de lucros inimagináveis há cerca de uma década no seio da própria Apple. Para tal, o iPhone continua a ser instrumental, com toda a empresa a desdobrar-se em torno deste produto e respetivo ecossistema.

Apple iPhone responsável por cerca de 50% das receitas

Apple iPhone 14
Os vários esquemas de cor para o novo Apple iPhone 14.

O seu icónico iPhone representa um total de 47,25% das receitas obtidas pela empresa no trimestre em questão. Ou seja, cerca de metade do dinheiro a entrar nos cofres da Apple resulta diretamente das vendas dos seus smartphones iOS.

Para tal, a chegada ao mercado dos novos iPhone 14 ajudou tangencialmente o período fiscal da tecnológica. Note-se que este trimestre fiscal terminou a 24 de setembro, pelo que poucos dias de vendas da nova gama foram contemplados.

Ainda assim, os primeiros dias de vendas dos Apple iPhone 14 foram igualmente dourados e, sobretudo no próximo relatório fiscal, o seu impacto será mais notório.

Serviços Apple são o segundo maior gerador de receitas

Apple iPhone

Em simultâneo, serviços como o Apple Music, Apple TV Plus, iCloud, entre outros, contribuíram com 19,18 mil milhões de dólares no mesmo período.

Por fim, os computadores Mac foram responsáveis por 11,5 mil milhões de dólares gerados em receitas para a tecnológica de Cupertino. Já o iPad trouxe cerca de 9,65 mil milhões de dólares à empresa durante os três meses em análise.

Aguardamos agora pelo próximo relatório fiscal, a terminar a 24 de dezembro. Aí sim, já veremos o real impacto dos novos iPhone 14 nas contas da empresa.

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@4gnews.pt