Apple derrota Netflix: CODA vence Óscar de Melhor Filme

Bruno Coelho
Comentar

À partida para mais uma cerimónia de Óscares, era um filme da Netflix que vinha a ser apontado como grande favorito nas últimas semanas. Mas no final das contas é o inesperado filme da Apple TV Plus a levar a principal estatueta para casa.

Parecia traçado que ‘O Poder do Cão’, da Netflix, era o grande favorito para levar o Óscar de Melhor Filme. Mas foi ‘CODA’, da concorrente Apple TV+, a vencer o principal galardão de uma cerimónia que não será esquecida.

'CODA' é o 1.º filme de um serviço de streaming a ganhar Óscar de Melhor Filme

‘CODA’ torna-se assim o primeiro filme de uma plataforma de streaming a vencer o Óscar de Melhor Filme. Os direitos deste terão sido adquiridos no Festival de Sundance por 25 milhões de dólares pela Apple. Tim Cook festejou a vitória no Twitter.

Team CODA created a profoundly beautiful movie, a story of hope and heart that celebrates our differences. Congratulations to the producers, @SianHeder, @TroyKotsur, @MarleeMatlin, @EmiliaJonesy, @DanielNDurant, @EugenioDerbez, and all involved in these historic wins! #CODAfilm pic.twitter.com/s9ebnPaYl1

— Tim Cook (@tim_cook) 28 de março de 2022

O título da Apple TV+ acabaria por ser o grande vencedor da noite, ao levar para casa três prémios. Além de Melhor Filme, ganhou ainda Melhor Argumento Adaptado e Melhor Ator Secundário (Troy Kotsur).

O nome CODA remete para “child of deaf adults”, que se refere a filhos de possas com problemas de audição. É adaptado do filme francês ‘A Família Bélier’ de 2014. Centra-se na filha (Emilia Jones) filha de um casal de pais (Troy Kotsur e Marlee Martin) e irmão (Daniel Durant) surdos, que sonha ser cantora.

Do outro lado, ‘O Poder do Cão’ partia para esta noite como grande favorito com 12 nomeações. Contudo, acabaria por ser o grande derrotado da noite, ao levar para casa apenas o Óscar de Melhor Realização, para Jane Campion.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.