7 smartphones LG que nos deixarão saudades

Rui Bacelar

A LG está de saída no mercado dos smartphones após anos de prejuízo. A decisão foi veiculada a 5 de abril, dando início à gradual desativação deste setor, processo com término previsto para o dia 31 de julho de 2021. Não teremos mais smartphones LG.

Recordemos então alguns dos seus produtos mais irreverentes, aqueles smartphones que nos despertaram a curiosidade e, volvidos meses ou anos, continuam a merecer a nossa estima. Independentemente do seu sucesso no mercado, estes foram os smartphones LG que, ao longo dos anos, nos marcaram.

1. LG Nexus 5: o excelentíssimo Android

LG Nexus 5

Em novembro de 2013 a LG lançaria um dos melhores smartphones Android a chegar ao mercado. Estreou o carregamento sem-fios com o padrão Qi, algo que viria a tornar-se numa visão comum desde 2020, sendo a LG pioneira neste campo.

O telefone destacou-se pelo bom preço e por usar o Android "stock", a versão pura fornecida pela Google. A interface otimizada tornava-o mais rápido que a maioria dos telefones Android de então, valendo-lhe boas críticas.

A quem procurava um smartphone Android com excelente relação preço / qualidade, este era o telefone a ter. Foi muito cobiçado pela comunidade mais ávida pelo sistema operativo da Google.

2. LG G2: a melhor alternativa aos Samsung

LG G2

Em agosto de 2013 a LG era uma das maiores fabricantes de dispositivos móveis e com o lançamento do LG G2 a marca tinha um telefone preparado para competir com a maior rival, Samsung. Por momentos, a LG quase ultrapassou a sua conterrânea.

O LG G2 estreou a configuração de botões traseiros, um atalho de conveniência para controlar diversos aspetos do telefone com os três botões abaixo da câmara principal. O smartphone foi bem aceite no mercado, colhendo boas críticas.

O seu design era bastante atraente para a época, com linhas arredondadas e harmoniosas. Deu-nos um primeiro contacto com a LG UX e todas as suas animações que dividiriam opiniões.

3. LG G Flex: estranhamente atraente

LG G Flex

Em dezembro de 2013 a LG apresentava o seu LG G Flex, um smartphone ligeiramente curvo e, como o nome indica, podia fletir. Isto era possível graças à utilização pioneira de um ecrã P-OLED (flexível), bem como uma bateria especialmente concebida.

Tal como borracha, o telefone podia dobrar ligeiramente sem sofrer danos irreversíveis. Este era o seu ponto de venda, um smartphone fino com traços arredondados e um formato ligeiramente curvo que lhe dava um aspeto mais orgânico.

Infelizmente, foi um daqueles produtos que admiramos na loja mas que dificilmente compraríamos. A resolução de ecrã era modesta e o ecrã de 6 polegadas era - em 2013 - visto como gigante e condicionou a sua compra. Foi irreverente, mas isso não bastou.

4. LG G3: ambição a qualquer custo

LG G3

Após o sucesso do LG G2, a fabricante apresentou o LG G3 em junho de 2014. O então topo de gama seria o primeiro smartphone a chegar ao mercado com ecrã de alta resolução Quad-HD (1440 x 2560 pixeis) com uma densidade de 538 ppp.

Destacou-se pelo belíssimo ecrã, construção arrojada com linhas mais fortes e por ter o primeiro sistema de autofocagem da câmara auxiliado por laser - laser AF. Infelizmente a autonomia de bateria sofreu imenso, bem como as instabilidades do sistema operativo.

O LG G3 trouxe caraterísticas ambiciosas para o mercado, mas foi sabotado pela má autonomia de bateria e fraca otimização de software. As críticas ao smartphone foram negativas.

5. LGV10: o gigante simpático

LG V10

Em 2015 chegaria ao mercado um bruto smartphone da LG. Bruto no sentido de ser um dos primeiros smartphones "à prova de crianças" como a fabricante o diria na sua campanha de marketing, aludindo à certificação de resistência MIL-STD-810G.

O LG V10 era construído como um tanque, tendo uma capa traseira rugosa e de tato áspero, ladeado por duas colunas metálicas que aumentavam a sua robutez e solidez de construção. Era grande, impressionante, realmente bruto (no bom sentido da palavra).

Além da robustez, o LG V10 foi pioneiro na implementação do ecrã secundário - uma aba superior no ecrã - onde podíamos colocar a nossa assinatura, alguns atalhos ou vislumbrar as notificações. Era diferente, mas um "bom" diferente.

O LG V10 colheu críticas razoáveis, sendo geralmente bem-aceite. O seu design não era para todos os palatos.

6. LG G5: sonhos modulares desconstruídos

LG Nexus 5

Foi provavelmente o smartphone LG que mais prazer me deu durante o período de testes. Apresentado em fevereiro de 2016 o LG G5 foi mais um pioneiro no mercado. Trouxe-nos a ideologia modular aplicada a um smartphone topo de gama e muito mais!

Podíamos trocar a ssua bateria ao desmontar o telefone, colocando outra para mais horas de uso. Podíamos colocar um "grip" com bateria e botões dedicados para a câmara fotográfica, ou até um "DaC" da Harman&Kardon para maior qualidade de áudio.

Os "LG&Friends" representavam o ecossistema de acessórios e extensões para este topo de gama que viriam a ficar na gaveta. A qualidade de construção era boa, mas sem certificação IP e a autonomia de bateria era sofrível.

Foi também o primeiro smartphone a introduzir uma câmara secundária com objetiva ultra-grande angular, além da câmara principal convencional. Desde então, esta seria a rota seguida pela LG, a aposta na grande angular.

Onde o Project Ara da Google sonhou, a LG executou com os seus "Friends", infelizmente de curta duração. Já a implementação da objetiva ultra-grande angular foi mais bem-sucedida.

7. LG Nexus 5x: a alternativa barata em plástico

LG Nexus 5X

Em setembro de 2015, em colaboração com a Google, a LG lançaria o LG Nexus 5X, uma homenagem ao grande Nexus de outrora, também ele construído integralmente em plástico, mas agora sem o carregamento sem-fios que pautou o 1.º telefone.

Este Nexus chegou a par com o telefone da Huawei, o Nexus 6P brilhantemente construído em metal, empalidecendo imediatamente perante o seu companheiro. À fraca qualidade de construção somou-se o problemático processador Snapdragon 808 da Qualcomm.

Tendo ainda assim o mérito de ser acessível, ter um ecrã razoavelmente bom e altifalantes duplos frontais, bem como o Android puro fornecido pela Google, o Nexus 5X seria uma nota de rodapé na história. Foi, a par do Nexus 6P, o último desta gama da Google.

O LG Nexus 5X foi a alternativa barata ao Nexus 6P da Huawei. As críticas foram mistas.

Extra - LG V20: o desejado

LG V20

Em setembro de 2016 a LG lançaria provavelmente o seu melhor smartphone Android. Tinha todos os bons atributos do "gigante simpático" que o precedeu, mas agora num invólucro que qualquer utilizador podia usar e mostrar, sem receios.

O LG V20 era excelente. Tinha a certificação MIL-STD-810G, mas uma elegante construção metálica. Possuía um excelente motor de áudio com o DaC certificado pela B&O, sendo um bastião para audiófilos que procuravam um smartphone Android.

O sistema de câmaras era muito competente, ótimo para vídeo pelos padrões de então. Tinha o ecrã secundário e um bom ecrã. Tinha tudo para dar certo, mas tardou em chegar ao mercado e não chegou a estar disponível em muitos mercados importantes.

Erro estratégico ou de outra índole, o LG V20 seria condenado pela fraca visibilidade no mercado quando tinha tudo para triunfar.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.