Ao efetuar uma compra através dos links deste artigo, o 4gnews pode ganhar uma comissão. Conheça o nosso processo de seleção de produtos.

Xiaomi tem o smartphone com a segunda melhor bateria do mercado

Bruno Coelho
Comentar

Primeiro começou por testar as câmaras, depois a qualidade sonora, e agora a DxOMark também já testa qualidade da bateria nos smartphones. Esta fonte já colocou as mãos num dos mais recentes smartphones do espólio da Xiaomi, colocando-o como aquele que tem a segunda melhor bateria no seu ranking.

Xiaomi Redmi Note 10 consegue 87 pontos no ranking de bateria da DxOMark

O smartphone em questão é o Xiaomi Redmi Note 10, que atingiu 87 pontos no ranking de bateria da DxOMark. Este é apenas superado pelo verdadeiro “monstro” que é o Samsung Galaxy M51.

Resumo da pontuação do Redmi Note 10 no ranking da bateria da DxOMark
Resumo da pontuação do Redmi Note 10 no ranking da bateria da DxOMark

O smartphone de gama-média da Xiaomi conta com uma bateria de 5000mAh, com carregamento rápido de 33W. A isto junta-se um painel AMOLED de 6,43” polegadas, o processador Snapdragon 678 e combinação de 4 GB de RAM com 128 GB de armazenamento.

Tal resulta numa autonomia média de bateria para 2 dias e 21 horas, segundo os testes. O equipamento carrega a 80% em 52 minutos, conseguindo um carregamento completo em 1 hora e 29 minutos.

Segundo a DxOMark, a autonomia enquanto jogas pode descer bastante. Mas se fores um utilizador moderado, a fonte afirma que este pode contar com quase três dias de autonomia. Pelo preço, esta é descrita como “impressionante”.

Na sua versão de 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento, o Redmi Note 10 pode ser comprado na Amazon de Espanha por 199,90 € com portes grátis para Portugal. Se queres boa bateria e um smartphone barato, é uma das melhores opções no mercado. Caso tenhas dúvidas de como comprar na Amazon de Espanha, consulta o nosso guia.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.