Xiaomi distancia-se da Mi Store Portugal após fiasco das criptomoedas

Rui Bacelar
Comentar

A semana passada trouxe uma notícia animadora para todos os utilizadores de criptomoedas em Portugal. A cadeia de lojas Mi Store Portugal começaria a aceitar Bitcoin, Ethereum, Tether, Dash e UTK, entre outras criptos como meio de pagamento online.

A notícia foi avançada a 4 de agosto, sendo uma surpresa bem acolhida junto dos grupo alvo de utilizadores mais atentos às criptomoedas. Pouco depois, no entanto, o sonho precoce foi enterrado, tal como avançou a própria direção das lojas em Portugal.

Lojas Mi Store em Portugal não representam a Xiaomi Global

Xiaomi Global
Resposta da Xiaomi Global ao caso das lojas Mi Store Portugal.

Mais concretamente, a cadeia de lojas Mi Store Portugal é explorada por uma empresa que não a Xiaomi propriamente dita. Isto é, encarem-se as lojas oficiais da Xiaomi em Portugal como uma franquia, ou franchising nas aceções mais comuns da palavra.

Com efeito, trata-se de uma parceira autorizada a utilizar a marca Mi Store Portugal, com gestão local.

Mais concretamente, a empresa é a Select Smart, Lda (NIF 515183865) é o parceiro oficial da Xiaomi em Portugal e o revendedor oficial autorizado que opera através das Mi Store Portugal. Informação presente na área "Sobre Nós" da página Mi Store Portugal.

A Xiaomi Global rejeitou esta aventura nas criptomoedas

A direção das lojas escolhera a luso-suíça Utrust como mediador de pagamentos com criptomoedas. Seria esta a entidade a suportar os pagamentos com ativos digitais na loja online da Xiaomi em Portugal.

No entanto, a medida caiu de forma inesperada uma vez que na China o clima anti-criptomoedas é notório. O governo central colocou recentemente um bloqueio em efeito para todos os ativos digitais, bem como a sua exploração ou mineração.

Posto isto, um representante oficial da Xiaomi Global veio a público, através da rede social chinesa Weibo, clarificar o assunto, tal como é visível acima. Aí declararia que as lojas portuguesas são exploradas não pela Xiaomi, mas por uma empresa autorizada.

Note-se que apesar de a gestão ser independente, todas as decisões importantes têm que passar pelo crivo da administração regional (ibérica). Mais ainda, as decisões mais vinculativas deverão ter ainda o aval da Xiaomi Global.

De qualquer modo, a aposta nas criptomoedas seria ajustada para Portugal onde impera um regime fiscal mais favorável a estes ativos digitais. Ainda assim, para já tal possibilidade não se afigura sequer provável num futuro próximo.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.