Vacinação Covid-19 pode ser agendada por SMS. Vê como funciona

Bruno Coelho
Comentar

Numa altura em que mais portugueses começam a ser convocados para vacinação, é também testado um novo tipo de agendamento para lhe ser administrada a vacina da Covid-19. A convocação passa a ser feita através de uma mensagem no telemóvel (SMS).

Tal como noticia a SIC Notícias, este anúncio foi feito esta segunda-feira pelo presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde. Luís Goes Pinheiro revelou que os testes tiveram início na última quinta-feira na região de Lisboa.

Como funciona o processo de agendamento por SMS

Existe “o envio do SMS para o número que está registado no sistema com uma pergunta muito direta”. É referido que a pessoa “está com agendamento” para uma data concreta em determinado local. A partir daí, a pessoa apenas tem de responder “sim” ou “não” à SMS.

Caso responda que “sim” a vacinação fica agendada na hora e local definidos. No caso de responder “não”, ou não responder no prazo que é indicado, recebe uma nova SMS com nova proposta de data, tentando obter resposta positiva.

É importante referir que, caso seja confirmada a marcação da vacinação através de SMS, será recebido um SMS no dia anterior à data definida, de forma a que seja relembrado.

De reforçar que estes testes começaram na região de Lisboa, e durante o fim de semana foram estendidos a seis unidades da ARS Norte. Contudo, em breve chegará a outras regiões do país.

Quanto às segundas doses da vacina, serão agendadas quando for dar a primeira toma. Depois de concordar com a segunda data, recebe também uma SMS no dia anterior a esta de forma a relembrar.

Editores 4gnews recomendam:

  • Como desbloquear o iPhone com máscara a partir do iOS 14.5
  • Apple bate Amazon e Disney e é a 'empresa mais admirada' do mundo
  • Google faz parceria histórica que coloca Android Auto nos futuros Ford
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.