Smartwatches motivam utilizadores para o exercício e perda de peso e melhoram condições de saúde

Mónica Marques
Comentar

Um dos mais recentes estudos sobre tecnologia wearable revela que esta motiva os utilizadores a exercitarem-se e a perder peso.

Mas há mais e melhor: estes dispositivos também provaram melhorar os níveis de ansiedade e a reduzir os níveis de colesterol e pressão arterial em doentes crónicos.

Milhares de pessoas consideram que a tecnologia wearable motiva à prática de exercício físico

Apple Watch Series 7
O Watch Series 7 da Apple é um dos smartwatches mais vendidos a nível global Crédito@Apple

A tecnologia wearable, como os smartwatches e smart bands, é considerada por muitos como uma moda. Mas um estudo recente realizado por investigadores da Universidade Sul da Austrália veio mostrar que não é bem assim e que os benefícios de utilizar este tipo de tecnologia podem ser muitos.

De acordo com a pesquisa feita que envolveu quase 400 estudos e 164 mil pessoas, a tecnologia wearable incentivam os utilizadores a caminhar mais 40 minutos por dia, o que se traduz numa perda de peso média de 1 kg em cinco meses.

Na prática, os utilizadores passam a dar aproximadamente mais 1.800 passos que se vão refletir na sua condição física, passado algum tempo.

A principal conclusão deste estudo, que já foi publicado na prestigiada revista Lancet Digital Health, é que um investimento de baixo custo (no caso das smart bands) pode combater os crescentes problemas de obesidade, doenças cardiovasculares e psicológicas, entre outras condições, que estão a afetar a humanidade, a nível global.

"Os resultados gerais dos estudos que analisamos mostram que os rastreadores de atividade são eficazes em todas as faixas etárias e por longos períodos de tempo", esclarece o responsável pela investigação, Ty Ferguson. Estes equipamentos "incentivam as pessoas a exercitarem-se regularmente e a estabelecer metas para perder peso".

Para muitas pessoas, a perda de peso de 1 Kg pode parecer insuficiente, mas os investigadores garantem que, do ponto de vista de saúde pública, é um marco significativo. Explicam também que tratando-se este estudo de uma investigação sobre a prática de atividade física e de estilo de vida, não eram expetáveis perdas de peso muito grandes.

Tecnologia wearable pode combater outras condições de saúde como a ansiedade

Dizem os investigadores que, em média, as pessoas ganham 0,5 Kg por ano. Nesse sentido perder um 1 Kg em cinco meses tem já outra relevância, especialmente se tivermos em conta que todos os países se debatem com problemas de obesidade.

Mas estes investigadores vão mais longe e destacam também os benefícios que a tecnologia wearable pode trazer à saúde de cada utilizador. Segundo as informações divulgadas, estes dispositivos podem ajudar a reduzir a pressão arterial, assim como os níveis de colesterol em doentes crónicos com diabetes tipo 2.

Por outro lado, a tecnologia wearable provou também ser eficaz no combate a condições como depressão, ansiedade e níveis de stress, simplesmente por incentivar as pessoas a praticarem e aumentarem a sua atividade física.

Entre 2014 e 2020, as vendas globais de wearables aumentaram em quase 1500%, sendo que em 2020 totalizaram globalmente uma receita de 2,7 mil milhões de euros.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.