Galaxy Note 7
Conferência de imprensa sobre o Galaxy Note 7

Parece que depois do desaire ocorrido com o Galaxy Note 7 a Samsung aprendeu a lição. Depois de ter melhorado o seu sistema de testes, a sua subsidiária, a Samsung SDI, vai investir cerca de 120 milhões de euros para aumentar a segurança das suas baterias.

Vê ainda: Os 8 Pontos da Samsung: segurança e confiança nas baterias

A empresa já instalou uma sala de emergência na sua fábrica em Cheonan, na Coreia do Sul. Criou também uma equipa formada por 100 pessoas vindas de três divisões da empresa, mais precisamente, dos processos de desenvolvimento, produção e tecnologias e qualidade e verificação.

   

Samsung Galaxy Note 7

As medidas de segurança são iniciadas logo a partir da fase inicial de desenvolvimento, onde são tomadas as devidas precauções para que os eletrólitos não sejam comprimidos. Já na fase de produção, é realizada uma inspeção através de Raio-X onde existe apenas uma hipótese de haver erros em 1 milhão de unidades. Por fim, chega o momento da análise final, onde o número de amostras recolhidas foi aumentado 1000 vezes.

É bastante positivo ver que a Samsung e a sua subsidiária têm estado empenhadas em evitar que os problemas ocorridos anteriormente se repitam. Para o bem da empresa, e de todos os utilizadores, estes investimentos resultem em algo efetivamente positivo para a empresa coreana. Certamente que sim, principalmente com o seu próximo smartphone, o Galaxy S8.

Outros artigos relevantes:

Google já começou a testar as apps instantâneas no Android

Elegante Samsung Galaxy S8 em nova foto

Galaxy S6 receberá o Android Nougat 7.0 em breve!