Samsung prestes a revolucionar os smartphones com bateria de grafeno

Filipe Alves
Comentar

Uma promessa passada que a Samsung pretende cumprir. Smartphones com baterias de grafeno são o desejo dos utilizadores que mais carecem da autonomia dos seus dispositivos.

Esta tecnologia já foi patenteada pela Samsung no passado e, segundo o conhecido leaker Evan Blass, deverá chegar aos smartphones da marca em 2021.

Baterias de grafeono Samsung

Vantagens de baterias de grafeno nos smartphones

  • Carrega 5X mais rápido que uma bateria de lithium
  • Pode carregar o smartphone em apenas 30 minutos
  • Terá mais 45% da capacidade que as baterias atuais
  • Duração de vida de bateria é maior

Estas são as principais vantagens das baterias de grafeno. Uma tecnologia que promete revolucionar os smartphones. Aliás, promete revolucionar qualquer gadget que utilize bateria.

Contudo, há uma enorme desvantagem face este tipo de produto. Para já é demasiado caro para as construir em massa. Assim sendo, o objetivo da Samsung passa por conseguir reduzir os custos e construir o máximo de baterias possíveis. Só dessa forma o preço por bateria baixará consideravelmente.

Quando teremos smartphones Samsung com baterias de grafeno

Tudo indica que será em 2021 que a tecnologia estará pronta para chegar aos equipamentos. Esperando que será um topo de gama a arcar com esse peso, acredita-se que o Samsung Galaxy S12 e S12+ (ou seja lá qual for o nome dos próximos smartphones) serão os escolhidos para acolher a revolucionaria tecnologia.

Em suma, ainda é cedo para festejar, porém, se a Samsung conseguir lançar este tipo de tecnologia para o mercado, as coisas mudam rapidamente. Para melhor.

Os smartphones estão cada vez mais inteligentes mas todos eles sofrem do mesmo, autonomia. As baterias de grafeno iam resolver esse problema.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.