Samsung Galaxy A53 versus Galaxy A52: o que mudou

Mónica Marques
Comentar

A Samsung acaba de lançar o novo modelo Galaxy A53 que vem suceder ao popular Galaxy A52. Mas o que mudou?

Colocámos os dois smartphones frente a frente para que possas avaliar cada alteração ou ponto em comum entre os dois terminais.

1. Processadores e memória RAM diferentes, mas ambos com 5G incluído

Samsung Galaxy A53
Samsung Galaxy A53 chega com um preço a partir dos 479 euros

No evento Galaxy A, a Samsung acaba de apresentar as suas mais recente novidades para esta série de smartphones que são bastante bem-sucedidas no mercado de vendas. Tudo porque habitualmente os modelos são equipados com especificações interessantes e disponibilizados a um preço mais simpático.

E o novo Galaxy A53 cumpre com esta tradição. Chega com o processador octa-core Exynos 1200 a 2,4 GHz, proprietário da marca aos comandos, emparelhado com 6 GB ou 8 GB de memória RAM e 128 GB ou 256 GB de armazenamento interno.

E é nestes pontos que residem as diferenças significativas entre os dois terminais. Tudo porque o Galaxy A52 conta com o chip Snapdragon 720G, igualmente com oito núcleos, mas com uma velocidade inferior de 2,2 GHz.

Já no que diz respeito à memória RAM e armazenamento interno, de acordo com o site português da Samsung, o Galaxy A52 está apenas disponível na variante com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno. Este será então um ponto a favor do novo Galaxy A53 que oferece mais RAM e mais capacidade de armazenamento.

Agora vamos para um ponto em comum: os dois terminais incluem suporte para comunicações 5G, o que os torna à prova de futuro.

2. Ecrã e bateria: o que muda e o que se mantém

Na frente, o Galaxy A53 exibe um ecrã super AMOLED de 6,5 polegadas com uma resolução Full HD+ e uma elevada taxa de atualização de 120 Hz.

Por sua vez, o Galaxy A52 está também equipado com o mesmo ecrã super AMOLED de 6,5 polegadas e resolução Full HD+. A alteração, por sinal significativa, encontra-se na taxa de atualização, uma vez que o A52 fica-se pelos 90 Hz.

E quanto à bateria? Bem, ambos oferecem suporte para carregamento rápido de 25 watts, mas o Galaxy A53 chega com uma robusta bateria de 5.000 mAh que, de acordo com a Samsung, tem autonomia para dois dias. Já o modelo mais antigo A52 é alimentado por uma bateria mais pequena de 4.500 mAh.

Ponto a salientar: o Galaxy A53 não inclui carregador na caixa de venda. Tal como a Samsung explicou na conferência de hoje, a ideia é reduzir o tamanho da caixa e minimizar o uso de papel e outros materiais. Será que também é uma forma de a Samsung estar a preparar os seus utilizadores para futuras decisões da UE nesta área? O futuro o dirá.

3. Galaxy A53 traz consigo algumas melhorias na parte ótica

Samsung Galaxy A52
O Samsung Galaxy A52 está disponível em Portugal por um custo de 329 euros

E eis-nos chegado à parte ótica. Ao nível das especificações técnicas, tanto o A53 como o A52 contam com uma configuração de câmara quádrupla com um sensor principal de 64 megapixéis com estabilização ótica de imagem, um sensor ultrawide de 12 megapixéis e ainda dois sensores de profundidade e macro com cinco megapixéis de resolução cada um.

Agora vamos às melhorias que o Galaxy A53 traz consigo. O processador a 5nm com Inteligência Artificial do novo terminal oferece aos utilizadores novas funcionalidades como por exemplo, o modo noturno que capta, de forma automática de até 12 imagens para que as fotos noturnas sejam tão nítidas quanto possível.

Por sua vez, o modo Retrato foi também melhorado, apresentando agora maior profundidade de campo e contornos mais precisos do assunto fotografado.

Em jeito de conclusão, são dois terminais com argumentos bastante semelhantes e que podem, eventualmente, ser desempatados pelo preço. O Galaxy A53 chega com um custo a partir dos 479 euros enquanto que o Galaxy A 52 está agora disponível por 329 euros.

Mas claro as "pequenas grandes diferenças" nas suas especificações justificam o preço mais elevado do modelo hoje apresentado e cabe ao utilizador escolher o smartphone mais adequado às suas necessidades.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.