As 3 maiores polémicas da Google durante 2020

Rui Bacelar
Comentar

Os grandes "escândalos" e notícias malfadadas durante um ano que felizmente deixamos para trás. A propósito, recordamos as três decisões da Google que despertaram a maior controvérsia e repúdio junto dos utilizadores e entusiastas da tecnologia.

Entre o anúncio do fim do armazenamento ilimitado no Google Fotos, à decisão de encerrar o seu serviço de streaming de música. Entre as selecionadas existirão outras escolhas que nos fizeram duvidar do bom-senso da empresa, mas estas foram as maiores.

1. Fim anunciado para o armazenamento ilimitado no Google Fotos

Google Fotos
O Google Fotos é um serviço de armazenamento e backup de imagens e vídeo.

O armazenamento ilimitado no Google Fotos só estará disponível para utilizadores premium, subscritores do serviço Google One. A decisão foi anunciada pela gigante norte-americana a 11 de novembro de 2020, com as repercussões a fazerem-se sentir a partir de junho de 2021. É o fim do serviço gratuito tal como o conhecemos, apesar de tal assumir diversas possibilidades.

Após anos a guardar as nossas melhores memórias de forma gratuita e ilimitada - em alta qualidade - o serviço mudou a sua política, entrando as novas disposições em vigor a 1 de junho de 2021. Até lá, consulta o espaço ocupado nesta plataforma.

A decisão afeta inclusive os utilizadores de smartphones Google Pixel, uma medida algo inusitada. Para os demais, terão avisos e cálculos automáticos do espaço sobrante na plataforma, além de recomendações para uma melhor gestão do espaço.

Pode ainda ser dito que o custo de adesão ao plano base do Google One é baixo. Ainda assim, passaremos a pagar por algo que até então era gratuito, sem forma de o contornar.

2. A remoção do Fortnite da Google Play Store

Fortnite
O Fortnite é um dos jogos mais populares em várias plataformas.

A remoção do popular jogo da Google Play Store e App Store causou ondas de protesto. Note-se que ambas as gigantes tecnológica decidiram remover a aplicação da Epic Games das lojas oficiais das plataformas Android e iOS, respetivamente.

O motivo? O jogo da Epic Games implementou uma loja no jogo que não era submetida às taxas impostas pela Google e pela Apple. O jogador podia comprar conteúdos adicionais na aplicação sem pagar taxas na Play Store e App Store.

Até ao momento o Fortnite não está disponível em ambas as lojas, nem sinais há de entendimento entre as empresas. Quem quiser jogar Fortnite no Android ou iOS terá que descarregar o jogo através do website da própria Epic Games.

Este conflito provocou algumas alterações na loja da Apple como os incentivos aos pequenos programadores.

3. O "adeus" apressado ao Google Play Music

Google Play Music

A última machadada caiu a 4 de dezembro de 2020, deixando o Google Play Music de estar efetivamente disponível. O serviço de streaming da norte-americana já estava agendado para encerramento desde finais de outubro, com o incentivo à migração para o YouTube Music. Entretanto, a plataforma fomentou também a transferência dos conteúdos da primeira para a segunda plataforma.

Caso tenham a aplicação instalada no vosso dispositivo móvel Android, ao abrir a mesma serão contemplados com o aviso "Google Play Music já não está disponível. Note-se que a gigante das pesquisas tem um vasto histórico de aplicações e serviços descontinuados. Aliás, existe um website para esse exato fim, a consulta de todos os projetos cancelados pela Google.

Por fim, apesar de a popularidade do Play Music nunca ter atingido grandes patamares, a migração "forçada" para o YouTube Music / premium, causou algum desagrado junto dos utilizadores.

Estas são algumas das principais decisões polémicas da Google no último ano, mas certamente não as únicas.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.