Netflix aumenta a sua dívida novamente, apesar de crescimento anual

António Guimarães
Comentar

Pela segunda vez este ano, o Netflix vai vender dívida, desta vez no valor de 2 mil milhões de dólares (1 793 159 000,00€). Vender dívidas é uma tática comum das empresas para angariação de investidores. No caso do Netflix, a empresa pretende financiar os seus conteúdos originais, aquisições de licenças e modelo de negócio no geral.

Terceiro trimestre de 2019 foi benéfico para o Netflix

O relatório financeiro relativo ao terceiro trimestre (chamado de Q3 - quarter) de 2019 revela um crescimento anual de 31% em receitas. Esse crescimento traduz-se em cerca de 5 mil milhões de dólares, um número extremamente positivo para o serviço de subscrição, o mais utilizado no mundo inteiro.

Contudo, as receitas não são o único indicador de sucesso. O crescimento de subscritores também é um fator importante, no qual o Netflix está a ter dificuldades nos Estados Unidos. O serviço de subscrição projetou para o Q3 800 mil novas subscrições, conseguindo ganhar apenas 500 mil novas subscrições.

Não só no último trimestre mas no geral, o Netflix tem vindo a verificar um crescimento de subscritores mais fraco. Em 2018, a plataforma ganhou 4.1 milhões de subscritores novos. Em comparação, até agora plataforma só conseguiu 2.1 milhões, com apenas dois meses até ao final de 2019.

A concorrência está a chegar em peso

Se considerarmos apenas Portugal, o Netflix tem apenas um concorrente: HBO e discutivelmente o Amazon Video. Contudo, se incluirmos o mercado americano temos a Hulu, as operadoras de telecomunicações e os vindouros Apple TV+ e Disney+ (que também iremos ter em Portugal).

Assim sendo, o Netflix já não é a única opção quando se trata de streaming de conteúdo. Segundo o relatório da empresa, o aumento dos valores mensais foi um factor contribuinte para a diminuição de subscritores nos Estados Unidos. Caso os valores se mantenham e a concorrência apresente alternativas interessantes, essa tendência irá aumentar.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.