A linha Lumia sempre foi a principal porta estandarte do Windows Phone. Não tendo obtido o sucesso que a Microsoft esperaria, este sistema operativo tornava-se interessante ao ver correr nos excelentes terminais Lumia que foram saindo ao longo dos anos, que compensavam as inúmeras falhas que o software em si foi revelando.

Pois bem, após estar entregue à Microsoft, esta linha que começou pelas mãos da Nokia, não conseguiu mudar o rumo no mercado deste software para dispositivos móveis. Agora, parece não haver volta a dar e sinais da sua possível retirada do mercado começam a surgir.

   

Ver também: Apple iOS com ícones “Live Tiles” do Windows OS? Quem sabe em breve!

“Devagar, devagarinho”, os Lumia vão esgotando no mercado, sem sinais dos seus stocks serem repostos. Para confirmar isto, a Microsoft Store da Alemanha retirou de vez o Lumia 950 e 950 XL da sua listagem, levando a crer que os mesmos não venham a ser vendidos através daquela loja.

Noutros países este modelo ainda aparecerá listado, apesar de esgotado, sendo esta a primeira vez que a Microsoft retira a listagem dos terminais do seu site. Se a Microsoft pretenderá renovar a sua linha de smartphones nada se sabe, mas a retirada de um topo de gama como o Lumia 950 poderá significar de facto o fim de uma era em que os dispositivos Lumia foram a “luz” do Windows Phone.


Relembramos que os Lumia 950 e 950 XL foram apresentados em outubro de 2015 como os novos flagship da Microsoft e, pelo menos no papel, aparentavam ter tudo para conquistar o mercado. Os belos ecrãs AMOLED Quad HD de 5.2 polegadas (Lumia 950) e 5.7 polegadas (Lumia 950 XL) eram acompanhados pelo processador hexa-core Qualcomm Snapdragon 808 no Lumia 950 e pelo octa-core Qualcomm Snapdragon 810 no Lumia 950 XL. Por sua vez a auxiliadar os processadores estão 3GB de RAM e 32GB de memória interna.

O fantástico sensor fotográfico de 20MP, que beneficia de óticas Carl Zeiss, trazia consigo estabilização ótica de imagem, autofócus, flash triple-LED RGB com uma abertura de f/1.9, enquanto que o sensor frontal, com uma abertura de f/2.4 e uma resolução de 5MP tinha capacidade para gravação em Full HD.

Sendo um belo smartphone, com boas especificações e uma excelente câmara, o maior defeito deste terminal estava no software. Corria o Windows 10, um software imperfeito, onde bugs foram sempre uma constante, com correções que nunca chegaram e uma loja de aplicações que nunca se aproximou do que ambos Android e iOS oferecem aos seus utilizadores. Talvez a história não conte inteiramente a qualidade do Lumia 950, mas tudo isto ajudou a que o terminal não tenha atingido o sucesso que se esperava.

Ver também:

Apple vendeu mais “iPhone 7 Plus” que qualquer outro “Plus”
Empresas tecnológicas reforçam a oposição a Donald Trump
Moto E3 (3gen) não receberá atualização para o Android 7.0 Nougat