Microsoft desafia Meta, ex-Facebook, no universo Metaverso com avatares 3D

Mónica Marques
Comentar

A Microsoft prepara-se para desafiar a Meta, ex-Facebook, no universo Metaverso com os novos avatares 3D para o Teams.

É já no próximo ano que a Microsoft vai disponibilizar a Mesh, uma plataforma colaborativa para experiências virtuais, na sua aplicação Teams.

Avatares 3D recorrem a Inteligência Artificial para analisar voz do utilizador

Microsoft Mesh

O universo Metaverso promete muita animação no mundo tecnológico. Primeiro foi a empresa Facebook que alterou o seu nome para Meta para refletir o foco do seu trabalho num ecossistema metaverso. Agora é a Microsoft que traz novidades exatamente na mesma área.

A empresa acaba de anunciar que vai disponibilizar a Mesh, uma plataforma colaborativa para experiências virtuais no Microsoft Teams já em 2022. Na prática, esta plataforma vai permitir que os utilizadores participem em videoconferências com avatares tridimensionais e animados.

Com este anúncio, a Microsoft parece estar a preparar-se para enfrentar e competir diretamente com a empresa de Mark Zuckenberg.

Desta forma, já no início do próximo ano, os novos avatares 3D vão estar disponíveis no Microfost Teams e para os verem os restantes utilizadores nao vão necessitar de usar um headset de Realidade Virtual.

A Microsoft vai recorrer a tecnologia de Inteligência Artificial para analisar a voz do utilizador e incluí-la no avatar escolhido que também pode fazer movimentos como levantar as mãos. A empresa antecipa que os espaços virtuais imersivos será onde a plataforma Mesh pode brilhar e ser mais útil, no sentido de as pessoas interagirem e socializarem.

Microsoft Mesh Teams

Plataforma Mesh pode ter suporte para tradução e transcrição

De acordo com a empresa, os referidos espaços virtuais podem funcionar melhor se o utilizador usar um headset de Realidade Virtual, mas tal não é obrigatório, uma vez que a animação do avatar será vista a olho nu.

A Microsoft está também a preparar suporte para tradução e transcrição, de forma a que os utilizadores possam reunir-se no espaço virtual do Teams com um colega de qualquer parte do mundo, sem existir a barreira da língua.

Em entrevista ao órgão de comunicação britânico The Verge, Nicole Herskowitz, general manager da Microsoft explicou que a empresa espera que "a plataforma Mesh ajude a reduzir a sobrecarga cognitiva de estar em videochamada. Depois de um máximo de 30 a 40 minutos em reunião, torna-se muito difícil que o utilizador se mantenha focado e interessado".

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.