MEO, NOS e Vodafone: sobem os preços e faltam opções, acusa a DECO

Rui Bacelar
5 comentários

A conclusão é avançada pela DECO, denunciando uma sumida simultânea de preços da MEO, NOS e Vodafone nos pacotes 3P mais baratos. Ao mesmo tempo, a velocidade de Internet em novos contratos com as operadoras foi reduzida.

Por outro lado, os atuais contratos não sofrerão alterações, não ficando mais caros, nem perdendo qualidade. No entanto, quem estiver em fase de renegociação do contrato, ou quiser fazer um novo contrato, será afetado pela subida concertada de preços.

A ANACOM denunciou o aumento simultâneo de preços em Portugal

Afetando o preço do pacote triple play 3P com acesso à Internet, televisão e comunicações de voz (sem box), o aumento foi orquestrado pela NOS, MEO e Vodafone. A DECO veio agora dar razão à Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM).

Foi através de uma recente publicação no seu website que a entidade de defesa do consumidor apontou o dedo acusatório não só à medida, mas sobretudo à sua tempestividade. Agora, com o teletrabalho a adquirir um papel vital no quotidiano, a subida de preços no pacote base e mais popular em Portugal, é visto como inusitado face às medidas preventivas de combate à COVID-19.

Importa, contudo, clarificar que este aumento de preços e diminuição na qualidade do acesso à Internet não afeta contratos em vigor - que estejam em curso. Aplica-se, sim, a quem efetuar novos contratos - os novos clientes - ou nas renegociações, afetando aqui os clientes existentes que, finda a duração do contrato prévio queiram voltar a contratar os serviços da operadora.

A subida concertada no pacote base triple play 3P

Alertando para a recorrência das alterações aos tarifários TV NET VOZ em Portugal, a modalidade mais popular junto das três grandes operadoras, a DECO coloca várias ressalvas e recorda o que outrora fora barato.

"(...) começou por custar 24,90 euros na Vodafone e destacou-se por ser o pacote de triple play mais barato…", pode ler-se na publicação supracitada.

O pacote 3P mais barato era o da Vodafone até a Cabovisão ressurgir com a NOWO que igualou essa oferta. No entanto, em 2018 os preços viriam a subir na MEO, NOS e Vodafone para 29,99 euros nas duas primeiras e 29,90 euros na terceira.

As mudanças e alterações são frequentes

O teor da DECO assume uma postura firme para com as operadoras, não que deixe de ser verdade o facto de quase semanalmente ocorrerem alterações e ajustes contratuais. É uma realidade económica, mas as últimas alterações são moralmente censuráveis.

Perante a segunda vaga da pandemia COVID-19, muitos portugueses voltaram a trabalhar a partir de casa. O teletrabalho necessita de uma ligação à Internet, condição sem a qual não se afigura sequer possível.

Ora, perante tal facto, a subida de 1 euro em cada um dos pacotes base na modalidade 3P levanta reservas. Com novos contratos a ocorrerem à base diária e as renegociações com frequência similar, só uma das partes sai beneficiada e não é o consumidor.

Em tempos de pandemia, uma subida de preços não é bem-vinda, acusa a DECO

MEO NOS Vodafone
Pacotes 3P da MEO, Vodafone e NOS. Crédito: DECO

Tratando-se de um aumento simultâneo pela MEO, NOS e Vodafone, o consumidor acaba por ter a sua escolha condicionada. Em Portugal estas são as principais operadoras e a diferença de preços consiste em nove cêntimos (0,09 €) na Vodafone.

Tal como frisa a DECO, o problema consiste no total alinhamento de preços entre as operadoras. A concorrência, por conseguinte, a liberdade de escolha é inexistente. Escolher entre 30,99 € e 30,90 €, estas são as principais opções dos portugueses.

A única ressalva positiva é feita em relação à NOWO, mas, infelizmente, não é uma opção na maior parte do país por não ter cobertura alargada.

Insatisfeito com a operadora? Mude, pague o mesmo e receba o mesmo.

Somando-se os custos em caso de rescisão antecipada, tal como acusa a fonte, estamos perante o "cocktail" ideal para prender o utilizador à atual prestadora de serviços de comunicações. A alternativa, para muitos portugueses, não existe.

A melhor opção será tentar negociar melhores condições, ou pelo menos uma manutenção das condições atuais quando for altura de renovar o contrato. Note-se que as renegociações já refletirão o aumento de preços e diminuição da velocidade de internet.

Apontamos ainda que a quebra na velocidade de acesso à Internet é significativa. A MEO e a NOS baixaram para 30 / 10 mbps, e a Vodafone para 30 / 30 mbps em download e upload. Anteriormente, a oferta em 3P chegava aos 100 / 100 mbps.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.