Meizu está cada vez pior! Será este o início do fim?

Filipe Alves
Comentar

A Meizu foi, em certa altura, uma das marcas mais fortes da China. Aliás, assim que a Xiaomi bateu na Europa, a Meizu era a sua forte concorrência. Contudo, o tempo passou e a marca foi perdendo para os seus concorrentes.

Na Europa, a Meizu ainda vende smartphones em loja física e online, contudo, a sua presença é mínima. Na China, o crescimento da Xiaomi, Huawei, Vivo e OPPO arruinaram o sonho desta marca se tornar líder no mercado.

Meizu

Meizu já despediu 30% dos seus funcionários em 2019

A empresa começou o ano com uma ronda de despedimentos. Hoje temos mais alguns a adicionar na lista. Só em 2019, a Meizu já despediu 30% do seu staff. O Vice-Presidente, Li Nank, foi um dos que também deixou a empresa. Isto fez com que a confiança da marca ficasse ainda mais afetada.

Ainda assim, o antigo executivo acredita que a fabricante possa dar a volta. Aquando o seu despedimento, referiu que continua a acreditar que a marca consiga crescer devido à sua paixão e vontade de chegar mais longe.

Meizu foi fundada em 2008 com um MP3

A emblemática empresa de smartphones já foi outrora uma empresa de MP3. Foi este o modelo de negócio quando abriu as portas em 2008. Os tempos mudaram e a Meizu chegou mesmo a fazer parte do TOP 3 dos fabricantes que mais vende na China.

Contudo, não durou muitos anos. A Meizu que em 2016 teve cerca de 2700 lojas abertas por todo país, agora tem uma média de 5 ou 6 por distrito. Ou seja, temos visto uma redução de despesa face à ausência de vendas.

O que esperar do futuro da Meizu

Já não é a primeira vez que vemos uma marca a entrar num buraco negro. BlackBerry, Palm, Motorola ou até Nokia. Todos eles perderam para a evolução do mercado de smartphones. A Nokia ainda tenta ganhar relevância no mercado e a Motorola só conseguiu sobreviver porque foi comprada pela Google e mais tarde vendida à Lenovo.

Ou seja, não me parece que a Meizu tenha um futuro risonho. Ou a marca realmente nos dá algo irreverente que todos querem ou é melhor começar a preparar o seu obituário. Uma pena!

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.