Huawei está "entalada" com a Alemanha em relação ao 5G

António Guimarães

Todos sabemos os maus lençóis em que a Huawei se encontra com alguns governos mundiais. Começando nos Estados Unidos e indo até ao Japão.

A gigante chinesa tem de encontrar uma maneira de re-conquistar a confiança de certos países. Caso contrário o seu negócio pode ser prejudicado mundialmente.

Contudo, parece que as coisas não se vão resolver tão cedo. Aliás os problemas da Huawei estão a alastrar-se para a Europa. Desta vez com a Alemanha.

A Alemanha tenciona colocar "travões" caso a Huawei não satisfaça o seu pedido

Numa visita ao Japão, Angela Merkel fez uma afirmação em relação ao progresso do 5G na Europa. A Chanceler alemã declarou que as infraestruturas da Huawei não vão a lado nenhum caso a empresa chinesa não cumpra uma condição.

Essa condição é convencer o governo alemão que não irá fazer passagem de dados para o estado chinês. Um pedido bastante arrojado e que a Huawei poderá não cumprir. Conforme sabemos, todas as suspeitas para cima da empresa de Shen Zhen se devem aos seus fortes laços com o governo chinês.

Merkel não elaborou mais sobre o assunto mas deixou a sua posição bem clara. É possível ainda que estejam a considerar banir a Huawei caso as suspeitas não sejam esclarecidas.

Um apontar de dedos

Dado o seu passado (e presente) político, os governos por todo o mundo olham sempre duas vezes antes de confiar no estado chinês. Por mais declarações que a Huawei faça a afirmar que não existe motivo para preocupações, não há como garantir que não se trata de um cavalo de Tróia gigante.

Em primeiro lugar, tanto a Huawei como a China afirmam que toda esta desconfiança por parte do Ocidente é resultado de propaganda americana. Adicionalmente reforçam as tentativas de desequilibrar e destruir a concorrência num mercado equilibrado.

Do outro lado temos respostas como afirmar que a China devia abrir o seu mercado wireless a outras empresas. Nomes como Nokia e Ericsson podiam beneficiar desses laços caso a China estivesse mesmo preocupado em "equilibrar a concorrência".

De mal a pior

A Huawei está a enfrentar uma péssima fase de relações públicas. Temos os conflitos com os Estados Unidos. Temos a detenção da sua CFO Meng Wanzhou no Canadá com acusações de fraude financeira.

Os Estados Unidos finalmente baniram a Huawei do país como fizeram com a ZTE. Países como Reino Unido e Austrália também o fizeram. Adicionalmente empresas como Vodafone e Motorola estão a evitar a empresa chinesa.

Em conclusão, é verdade que a Huawei está a conquistar o mercado a olhos vistos. A gigante chinesa teve um crescimento enorme no mercado mobile que foi contra a tendência global de baixas vendas em 2018. Todavia, a sua imagem pública está a ser manchada constantemente dia a pós dia.

Não sei como é que a Huawei vai "descalçar esta bota".

Editores 4gnews recomendam:

Samsung Galaxy S10: Estes serão os preços dos novos smartphones

Xiaomi Mi 9 será desenhado pelo mesmo designer do Xiaomi Mi 6

Hack de uma caixa de multibanco levou a um roubo de 1 milhão de Euros

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.