Huawei desafia EUA a provarem como a chinesa anda a espiar os utilizadores

Carlos Oliveira
Comentar

Esta semana surgiram novas declarações da parte de altas instâncias dos EUA de que a Huawei estaria a espiar utilizadores por todo o mundo. Segundo as crenças dos americanos, a chinesa possui backdoors em todos os seus equipamentos e diz ter provas.

Confrontada com estas acusações, não tardou até que a Huawei ripostasse. John Suffolk, chefe de cibersegurança da Huawei, tomou a palavra para incitar os EUA a revelaram as provas que têm contra a tecnológica chinesa.

"Dizemos apenas: 'Não escondam, não sejam tímidos. Publiquem, deixem o mundo ver!" Suffolk acredita que a administração Trump está a fazer bluff. Para provarem que o que estão a afirmar é verdade, basta publicar as supostas provas que detêm.

Huawei

Huawei garante que não anda a espiar os utilizadores

Desde o começa desta "novela" entre a Huawei e os EUA que a chinesa afirma nunca ter espiado os seus utilizadores. Esta posição é reforçada perante as novas acusações de que estaria a espiar utilizadores por todo o mundo.

Segundo John Suffolk "Não temos acesso a esse equipamento, não sabemos qual chamada ou informação está a ser intercetada, não sabemos quando ela é intercetada - tudo o que fazemos é fornecer um lado da caixa que é cego para o que está a acontecer do outro lado da caixa.

Não conheço nenhum operador que tenha dito à Huawei: 'Sente-se nesta sala e veja o que está a acontecer'. Se eu descobrisse que a nossa equipa estava envolvida nessas coisas, tomaríamos as medidas adequadas."

A Huawei é uma das principais potências a nível mundial no que respeita a equipamentos de rede e ao 5G. Não seria de espantar que o router da operadora que tens em casa tenha sido desenvolvido pela chinesa.

A Huawei tem vivido dias complicados após as acusações de espionagem

Foi em maio do ano passado que Donald Trump colocou a Huawei na lista negra dos EUA por suspeitas de espionagem para o governo chinês. Como consequência dessa medida, a tecnológica viu-se impedida de negociar com empresas americanas, levando mesmo a que perdesse o acesso aos serviços da Google.

Posto isto, Donald Trmup aconselhou os seus aliados a tomaram medidas semelhantes e a evitar o uso de equipamento da Huawei. À luz destas declarações, a Vodafone já confirmou que deixará de utilizar o equipamento da Huawei nas suas infraestruturas mais sensíveis.

Por enquanto, Portugal tem mantido a confiança no equipamento da Huawei. A Autoridade Nacional das Comunicações diz ainda não ter razões para excluir a chinesa das novas redes 5G.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.