Google Chrome é o browser mais popular, mas atenção ao Edge da Microsoft

Rui Bacelar
Comentar

O navegador de Internet da Microsoft, sucessor espiritual do Internet Explorer, tem agora 11% de quota de mercado. O líder é o Google Chrome com mais de 66% de quota de mercado, de acordo com as métricas reveladas pela agência Statcounter GlobalStats.

Pese embora o Edge da Microsoft acompanhe todas as máquinas dotadas do sistema operativo Windows, a adoção deste browser é tépida no máximo. O caminho tem sido o de crescimento, é certo, porém, há ainda muito a percorrer para este Edge.

Edge da Microsoft é a solução presente nos PC's com Windows 11

Windows 11 Microsoft Edge

O browser tem muitas funcionalidades similares ao Google Chrome e, a seu favor, joga também o facto de vir instalado no sistema operativo Windows 11. Fatores que têm certamente contribuído para o seu crescimento, com mais utilizadores a comprovar as suas capacidades de produtividade e navegação rápida, e segura, pela Internet.

Segundo os dados mais recentes da StatCounter, o Edge da Microsoft ultrapassou a fasquia dos 10% de quota de mercado, tendo alcançado 11% em novembro último. É uma prova de crescimento gradual, mostrando assim uma maior adoção.

Os novos dados mostram um crescimento gradual do Edge, sem ameaçar a dominância do Google Chrome, ou mesmo a posição confortável do Safari da Apple, que cai para 3.º lugar. Não obstante, a solução da Microsoft mostra-se uma opção cada vez mais interessante.

Edge da Microsoft ultrapassou o Safari da Apple e ocupa agora o 2.º lugar

Edge da Microsoft Google Chrome StatCounter

Face ao exposto, de acordo com a StatCounter temos o seguinte ranking de browsers:

  1. Google Chrome: 66,18% de quota de mercado
  2. Edge da Microsoft: 11,17%
  3. Safari da Apple: 9,59
  4. Firefox da Mozilla: 7,11%
  5. Opera: 3,29%

Os dados acima indicados reportam-se ao mês de novembro de 2022 como métricas mais recentes.

Em suma, vemos que a proposta da Microsoft para o Windows parece estar a resultar. Inicialmente descartada por muitos utilizadores e sem dúvida à sombra da popularidade do Internet Explorer, o seu crescimento gradual é inegável.

Entre os fatores que terão contribuído para o seu crescimento estará a sua base no Chromium, com funções otimizadas para a segurança, rapidez e produtividade.

Dito, isto, o seu crescimento é louvável, demarcando-se do Safari da Apple, representando boas notícias para a Microsoft neste final de ano.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com a atualidade tecnológica na 4gnews. Email: ruibacelar@4gnews.pt