Google cede e atende aos pedidos de utilizadores para remover contactos da pesquisa

Mónica Marques
Comentar

Finalmente a Google cedeu aos pedidos de muitos utilizadores e está a remover algumas informações pessoais dos resultados de pesquisa.

A partir de agora, informações como números de telefone, moradas e endereços de e-mail não vão aparecer nas páginas de resultados de pesquisa do motor da Alphabet.

Google vai remover informações pessoais dos resultados das suas páginas de pesquisa

You can now request removal of personal contact information like a phone number, email address, or physical address, as well as login info, from Google Search. Learn more: https://t.co/ZTFRtWlNKz

— Google SearchLiaison (@searchliaison) 27 de abril de 2022

A Google acaba de anunciar que, por fim, vai responder aos pedidos de muitos utilizadores e remover informações de cariz pessoal das suas páginas de resultados de pesquisa. Na origem desta decisão está não só o pedido dos utilizadores, como também a crescente ameaça representada pelo fácil acesso a detalhes de contacto.

A nova medida é parte integrante das políticas de privacidade da Google e será aplicada a nível global. Michelle Chang, responsável pela política global da pesquisa Google, afirmou que existe uma grande quantidade de informação de identificação pessoal disponível que os utilizadores consideram confidenciais e que estes "estão cada vez mais relutantes em partilhar ou tolerar que esse conteúdo esteja online".

Até agora, o motor de pesquisa Google só aceitava solicitações para remover páginas Web que partilhavam informações de contacto em conjunto com algum tipo de ameaça ou pagamento necessário para remoção. O motor de pesquisa também já tinha removido links para números de contas bancárias e cartões de crédito, além de registos médicos.

Google vai manter visível informações públicas e de fontes oficiais

Nos últimos anos, a Google recebeu dezenas de milhares de solicitações para remoção de conteúdo em cada ano, tendo aprovado cerca de 13%. Michelle Chang afirmou também que espera que a taxa de aprovação cresça com as novas regras que, também, permitem a remoção de links para credenciais de login confidenciais.

Recorde-se que as políticas mais antigas da Google permitem a solicitação de remoção de resultados direcionados a pornografia indesejada e, na Europa, a informações pessoais "imprecisas, inadequadas, irrelevantes ou excessivas". Ainda durante o ano passado, o Google começou a permitir a remoção de fotos de menores.

Michelle Chang esclareceu ainda que com a nova política de privacidade, a Google pretende preservar a disponibilidade de dados de interesse público. Por essa razão, não irá remover informações que "apareçam como parte do registo público nos sites do governo ou de fontes oficiais".

No entanto, a responsável do Google explicou que as páginas Web que o motor de pesquisa descarta podem ser acedidas através de outros mecanismos de busca ou até mesmo diretamente e, por essa razão, os utilizadores devem ser incentivados a entrar em contacto com os responsáveis desses sites para resolver "a raiz do problema".

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.