Facebook pode ser obrigado a vender o Instagram e WhatsApp

Rui Bacelar
Comentar

A Facebook Inc, empresa liderada por Mark Zuckerberg pode ser forçada a vender alguns dos ativos mais valiosos como o WhatsApp e o Instagram devido a uma ação judicial interposta pela U.S. Federal Trade Comission, órgão regulador norte-americano.

A ação, dupla, é apoiada por 48 dos 50 estados que compõem a nação norte-americana, acusando o Facebook de monopólio e de aplicar a estratégia de "comprar ou enterrar" empresas e serviços rivais. A estratégia visa suprimir possíveis concorrentes.

A possível divisão forçada do grupo Facebook

Facebook could be forced to sell WhatsApp and Instagram after the Federal Trade Commission and a coalition of U.S. states sued the social media company, saying that it broke antitrust laws and should potentially be broken up https://t.co/XWblsIa8WU $FB pic.twitter.com/gpq1WVYHOg

— Reuters (@Reuters) 10 de dezembro de 2020

A submissão de ambas ações na passada quarta-feira marca torna o grupo Facebook na segunda grande tecnológica a estar na mira do Departamento de Justiça dos Estados Unidos da América em 2020, sucedendo ao Alphabet Inc em outubro último.

Recordamos que também a "casa-mãe" da Google foi acusada de usar a sua posição dominante para suprimir possíveis concorrentes. Agora, a mesma acusação é feita ao grupo liderado por Mark Zuckerberg, ainda sem desfecho à vista.

A ação marca um raro momento de consenso entre a administração Trump e o partido Democrata, ambos a querer responsabilizar as grandes tecnológicas pelas ações próprias. Ouvem-se até algumas vozes que advogam a separação do Google e do Facebook.

O pior dos cenários será a venda forçosa do WhatsApp e Instagram

A queixa foca-se especificamente nas aquisições prévias dos rivais do Facebook, nomeadamente o Instagram, em 2012, por mil milhões de dólares a plataforma de comunicações instantâneas, WhatsApp, em 2014, por 19 mil milhões de dólares.

Agora, os reguladores federais e estatais clamam pela reversão do negócio de agregação. Caso este grupo fosse desfeito, o Facebook Inc teria que vender não só o WhatsApp, mas também a rede social de partilha de imagens, o Instagram.

Por sua vez, o Facebook alega que este processo mais não é que "história revisionista", ao que acrescenta que as leis e regulamentos concorrenciais não devem ser usados para punir empresas de sucesso.

A direção do Facebook afirma ainda que o sucesso do Instagram e WhatsApp se deve ao investimento de vários milhões de dólares em ambas as plataformas. Agora, o "governo quer refazer o que já foi feito", minando as reais expectativas de estabilidade do mercado e colocando em perigo a confiança dos investidores e empreendedores nos Estados Unidos da América.

O caso ainda agora começou e promete desdobrar-se em vários andamentos que aqui acompanharemos.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.