Elon Musk partilha novos dados incríveis sobre a Internet por satélite Starlink

Rui Bacelar
Comentar

Sem os constrangimentos de uma infraestrutura de apoio e suporte tradicional, fixa e instalada em determinados pontos do globo, o sistema de Internet por satélite de Elon Musk, o Starlink da SpaceX, tem um potencial para atingir novas velocidades incríveis.

Mais concretamente, há no Starlink o potencial para se atingir uma velocidade de transmissão de dados próxima da velocidade da luz. A troca de informações pode atingir, com efeito, cerca de 97% da velocidade da luz (299 792 458 m/s), ou seja, 290 798 684 m/s.

Elon Musk confirma a velocidade máxima do sistema Starlink

Elon Musk Starlink Internet

O sistema Starlink tem o potencial para fazer chegar Internet de banda larga em regiões remotas. Para já, contudo, a plataforma está na sua fase inicial de teste e implementação. Aliás, tal como demos a conhecer na 4gnews, já está disponível também em Portugal.

Este sistema está atualmente em expansão com novos satélites a reforçar a constelação já presente na órbita terrestre. Com efeito, à medida que novos satélites se juntam aos pre-existentes, a capacidade do serviço de Internet aumenta consideravelmente.

O objetivo, contudo, passa por providenciar uma velocidade de transmissão de dados que se aproxima das grandezas astronómicas. A confirmação, aliás, foi feita pelo próprio Elon Musk, em resposta a uma pergunta colocada na rede social Twitter.

Internet por satélite conseguirá atingir 97% da velocidade da luz

Processing is not an issue. Lasers links alleviate ground station constraints, so data can go from say Sydney to London through space, which is ~40% faster speed of light than fiber & shorter path. Also, no need for ground stations everywhere. Arctic will have great bandwidth!

— Elon Musk (@elonmusk) 2 de setembro de 2021

Importa frisar que atualmente o sistema Starlink depende de estações fixas no terreno, bem como das antenas de satélite convencionais. No entanto, tal como aponta Musk, a SpaceX e o sistema Starlink querem libertar-se de tais amarras.

O principal inconveniente da atual infraestrutura de suporte são os longos tempos de transferência de dados entre os satélites em órbita e as bases terrestres. Este hiato atrasa a comunicação, por conseguinte, diminuindo as velocidades do serviço.

Futuramente esta comunicação deverá ser feita através de lasers, de acordo com Elon Musk. Este novo meio conseguirá superar em 40% as atuais velocidades atingidas pelos cabos de fibra ótica.

Como tal, poderemos ter velocidades incríveis a pautar o sistema de Internet da Starlink. Assim que se elimine a necessidade das estações fixas, espalhadas pelo globo, o sistema atingirá novas velocidades e largura de banda.

Até a Antártica terá Internet de banda larga, afirma Elon Musk

Elon Musk Starlink

A ousada afirmação que a velocidade de transferência de dados pode atingir 97% da velocidade da luz baseia-se na afirmação de Elon Musk. Operando um simples cálculo e tomando como base a velocidade da luz no vácuo, chegamos a tal conclusão.

Mais ainda, o responsável máximo pela SpaceX, afirmou que o Starlink diminuirá brevemente a sua dependência das estações terrestres. Além disso, afirmou também que, muito em breve, até no Ártico conseguirá fornecer Internet de banda larga.

Ora, tendo em consideração o rápido ritmo de evolução do sistema Starlink, bem como os lançamentos periódicos de novos satélites, temos boas razões para acreditar nas suas afirmações.

O sistema de Internet por satélite está em rápida expansão

Elon Musk Starlink Internet

De igual modo, a Starlink pretende triplicar a velocidade de transmissão de dados do seu serviço de Internet face ao valor atual. A propósito, recordamos que atualmente este valor pode variar entre os 50 Mb/s e os 150 Mb/s. Ademais, promete diminuir o tempo máximo de latência para 50 ms.

Mais ainda, a empresa fez saber que muito em breve começará a melhorar a cobertura nas regiões polares. Algo que só será possível graças ao lançamento da segunda geração de satélites de comunicações a ser lançados pela tecnológica norte-americana.

Por fim, a SpaceX também está a acelerar o lançamento de mais de 1 200 satélites Starlink ao longo dos próximos meses, ainda que possa enfrentar alguns atrasos devido à escassez de componentes integrantes do combustível para os seus foguetes.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.