A Redmi separou-se da Xiaomi. O que podemos esperar agora?

Filipe Alves

A Redmi separou-se da Xiaomi. O que podemos esperar agora?Os smartphones Xiaomi Redmi são dos equipamentos da empresa chinesa que mais vendem. Ainda que os topos de gama da Xiaomi são os que chamem mais a atenção, são os Redmi que vão carregando o nome da Xiaomi pelo mundo fora.

Assim sendo, depois da Xiaomi ter anunciado que a "Redmi" será a sua própria marca, o que podemos esperar?

Vê ainda: Cuidado com esta aplicação Android de meteorologia ainda na Play Store

Visto que a gama Redmi era dedicada aos smartphones intermediários e de entrada, acredito que assim continuará. Pelo menos por uns tempos. A Xiaomi está a levantar o nome da sua marca para os gama alta. Pelo menos é a minha conclusão depois de ver esta "separação".

Ou seja, tirando os smartphones "Redmi" do portfólio da Xiaomi, a empresa chinesa só nos apresenta smartphones de gama alta e gama média. Por isso não é de esperar vermos mais "Xiaomi" no segmento de entrada. É aí que a marca Redmi entrará.

Os smartphones continuarão a ser fabricados pela Xiaomi

Ao criar esta sub-marca Redmi, muitos amantes da marca questionam-se o que mudará em concreto. Basicamente nada. Ou seja, a criação desta sub-marca faz apenas que sejam introduzidos mais recursos e mentes para a divulgação e crescimento do nome "Redmi".

Dessa forma, os smartphones continuarão a ser construídos pela Xiaomi e certamente continuarão a levar o nome e logo da marca com eles.

Não faltam sub-marcas com sucesso no mercado

Google Pixel 3 câmara Android Pie OxygenOS 9.0 Android loja física OnePlus 6 Android Oreo DxOMark

A criação de sub-marcas não é nada de novo. Com esta ideologia a sub-marca deixa de ser totalmente independente da "marca mãe" e tem mais possibilidade de crescer.

Tomemos o exemplo da Honor (sub-marca da Huawei), Nubia (sub-marca da ZTE), OnePlus (sub-marca da OPPO) ou até da Pocophone (sub-marca da Xiaomi). Ao ser uma marca independente conseguem trabalhar de forma mais certeira para o seu público-alvo sem pensar muito qual será o próximo passo.

A concorrência interna também será uma maior dádiva. O melhor exemplo que posso dar é o Honor 10 e Huawei P20. Ambos com as mesmas especificações e características idênticas. Porém, com um preço totalmente diferente. A concorrência interna só faz com que no final do dia a marca ganhe mais valor e cresça ainda mais.

O que fará a Redmi para crescer num mercado competitivo?

É aqui que a Redmi tem capacidade para surpreender. Serão livres de criar o que acharem melhor para o seu público-alvo. No início não me parece que venham a apresentar smartphones topo de gama, todavia, acredito que a qualidade dos smartphones aumentará com esta "separação".

Editores 4gnews recomendam:

Honor ataca Xiaomi dizendo que é bem superior

LG poderá utilizar mecanismo único no seu smartphone dobrável

Samsung Galaxy S10 Lite: Tamanho da bateria não impressiona

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.