YouTube
crédito: depositphotos

A publicidade no YouTube é, à falta de melhor expressão, um mal necessário. É uma das formas de retribuição para os criadores de conteúdo mas, como tudo na vida, é preciso ter conta, peso e medida.

Consigo aguentar um anúncio de 15 segundos mas claro que prefiro passar à frente aos 3 segundos. Creio que concordarás comigo quando digo que ninguém gosta de trabalhar para aquecer e que, por muito pouco que seja, sabe sempre bem ter algum retorno financeiro.

Contudo, as publicidades de 30 segundos que alguns criadores utilizavam no YouTube para monetizar os seus vídeos tornaram-se cada vez mais irritantes. Sobretudo quando esta publicidade não dá para ignorar passado 3 segundos e acabas mesmo por perder o interesse no vídeo só para não ter que aguentar com uma publicidade cujo conteúdo nada tem a ver com o tema do vídeo que gostarias de ver.

   

Vê também: Nokia 8 : Se este for o topo de gama da Nokia…

Note-se, também nós vivemos de publicidade. Seja no pequeno banner no topo da página ou nas laterais, são pequenos cliques que nos dão o sustento e os meios para pagar servidores. Não é à toda que vos pedimos, humildemente, para desativar o AdBlock na nossa página mas adiante.

Publicidade no YouTube – Um “mal” necessário

A Google anunciou oficialmente o fim dos anúncios de YouTube fixos (impossíveis de passar à frente) de 30 segundos. Esta medida entrará em vigor a partir de 2018 e tornará a tua experiência de visualização no YouTube mais cómoda e livre de publicidade indesejadas.

Estas declarações foram prestadas por um representante da Google à BBC (fonte), no passado sábado. O YouTube está a tentar reformular alguns dos seus mecanismos de monetização e focar-se-à na experiência de visualização do comum espectador. YouTube

Para os criadores de conteúdo as notícias não são alarmantes mas uma coisa é certa, os anúncios de 30 segundos, especialmente no início dos vídeos são uma coisa do passado e serão removidos em 2018.

“Os anúncios de 30 segundos são um legado da TV, são uma unidade, um formato muito comum na televisão tradicional mas não são o meio mais eficaz para fazer publicidade online. Os criadores de conteúdo terão que ser mais criativos na maneira como colocam os anúncios até porque as publicidades que podemos passar à frente após 3 segundos são cada vez mais populares. Ninguém gosta de ser forçado a ver os anúncios, isso basta na TV e não admira que cada vez mais o YouTube esteja a roubar público a este formato tradicional.”

Isto são boas notícias mas continuaremos a ter alguns anúncios fixos de curta duração. Uma coisa é certa, não faltam meios para monetizar o teu conteúdo no YouTube, mesmo em Portugal.

Outros assuntos relevantes:

Data de apresentação dos processadores “Pinecone” da Xiaomi revelada!

SMASHY CITY: Como é que consegues ser tão viciante?

E se o novo smartphone LG G6 for mesmo assim?

Viaphonearena
Fontebbc.com
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).