WhatsApp volta a relembrar os utilizadores do "ultimato" fora da UE

Rui Bacelar
Comentar

A plataforma de comunicações instantâneas WhatsApp está a enviar um novo aviso aos seus utilizadores. A nova mensagem sublinha a necessidade de aceitar os novos termos e condições de serviço até ao dia 15 de maio, data definida pela app de mensagens.

O conteúdo em circulação reforça o "ultimato" imposto aos utilizadores fora da União Europeia, onde não vigora o RGPD. Aí, a menos que aceitem efetivamente a nova Política de Privacidade da empresa do grupo Facebook, deixarão de poder enviar mensagens.

A nova política de privacidade entra em vigor a 15 de maio de 2021

WhatsApp
O novo "aviso" da plataforma a ser apresentado aos utilizadores.

A medida que gerou grande desconforto junto dos mais de dois mil milhões de utilizadores mensais da WhatsApp acabou por levar muitos destes a experimentar e, quiçá, migrar para a Telegram e Signal. As rivais registaram um forte crescimento desde janeiro.

Agora o WhatsApp volta à carga, dando a saber aos utilizadores que terão de aceitar as novas políticas se querem continuar a usar a plataforma. Os novos termos, que inicialmente seriam aplicados entre meados de janeiro a início de fevereiro, foram alvo de uma moratória até 15 de maio devido à onda de desinformação e contestação que se gerou em torno da medida do WhatsApp.

A partir dessa data - 15 de maio - caso não aceitem os termos e condições do serviço - e residam fora da UE, ficarão impedidos de enviar mensagens. O WhatsApp não apagará a conta dos utilizadores, mas estes ficarão privados das suas melhores funções.

O ultimato do WhatsApp aplica-se aos utilizadores fora da União Europeia

WhatsApp
A mensagem está a dividir as opiniões de alguns utilizadores.

As novas mensagens fazem parte da campanha de sensibilização e "reposição da verdade", segundo a plataforma. A empresa espera assim sensibilizar os utilizadores para a necessidade de implementar estas alterações com vista a melhorar o serviço prestado.

Assim, à medida que avançamos em março e se vislumbra o mês de maio no horizonte, a intensidade dos avisos deverá aumentar. A nova mensagem é particularmente explícita ao referir o que vão fazer, quando o farão e o porquê de tal decisão.

Nada fica entre você e sua privacidade. As conversas com empresas são opcionais e claramente identificadas no app. Você está sempre no controle. Para mais informações, por favor ler: https://t.co/ecMg2nis9N pic.twitter.com/aVqglKwuqs

— WhatsApp (@WhatsApp) 18 de fevereiro de 2021

De igual modo, tal como avança a publicação Gizchina, o WhatsApp já frisou que não apagará a conta do utilizador, mas que severas restrições serão impostas a quem não aceitar os novos termos e condições de serviço:

"O WhatsApp não eliminará a sua conta. No entanto, não terão acesso a todas as funções do WhatsApp até que aceite (...) Durante um período poderá receber chamadas e notificações da app, mas não poderá ler nem enviar mensagens pelo WhatsApp.

Até 15 de maio o WhatsApp continuará a fornecer avisos e mensagens similares com o intuito de aclarar qualquer dúvida que possa persistir sobre o que mudará na plataforma. De qualquer modo, a menos que os utilizadores internacionais aceitem as mudanças, sofrerão algum tipo de bloqueio ou restrição severa.

Enquanto isso, na Europa pouco ou nada mudará, na utilização prática e diária da plataforma graças ao RGPD vigente.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.