Vodafone é líder mundial deste mercado pelo oitavo ano consecutivo

Bruno Coelho
Comentar

A Vodafone volta a mostrar-se bem à frente no que diz respeito ao mercado de Internet of Things (Internet das Coisas). Pelo oitavo ano consecutivo, foi reconhecida como líder no Gartner Magic Quadrant de 2022 para a Gestão de Serviços de Conectividade em IoT.

Esta avaliação abrangeu um total de 18 fornecedores. Para a distinção, a Gartner "teve em conta não só a plenitude de visão como a capacidade de execução da Vodafone”, revela a operadora em comunicado.

Esta posição de liderança terá tido forte contribuição da escala, que permite tirar partido de oportunidades multinacionais. Mas também do investimento feito na entrega constante de "valor, a visão clara do rumo do mercado e a capacidade de envolvimento dos Clientes”.

vodafone

Erik Brenneis, CEO da Vodafone Business IoT afirma que “a IoT tornou-se um ativo operacional essencial para empresas em todo o mundo, tão crítico como a eletricidade”. À medida que a digitalização acelera, a operadora que oferecer aos clientes “alcance global, a qualidade de serviço e o suporte operacional de que precisam para maximizar sua eficiência, otimizar as suas operações e minimizar o seu impacto no meio ambiente”.

Vodafone Business alcançou 136 milhões de conexões

A Vodafone Business expandiu os seus negócios de IoT em mais de 20% no último ano, alcançando 136 milhões de conexões. Esta afirma ter impulsionado a inovação nesta área, ao lançar as bases para o 5G para IoT e criando modelos comerciais.

Para estes reconhecimentos tem contribuído também o trabalho do Centro de Competências Internet of Things, instalado junto da Vodafone Portugal. Este é responsável pelo lançamento de diversas soluções IoT hoje aplicadas em empresas e cidades de Portugal e do mundo.

Entre estas destaca-se a Vodafone Machine Data (indústria 4.0) ou o Vodafone Digital Screen (montra digital para o negócio).

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.