Tal como anunciámos há algum tempo, o projeto automóvel da Apple parece cada vez mais estar “a ganhar pernas”, perdão… “a ganhar rodas”. Segundo uma notícia avançada pelo Business insider, a Apple parece ter já autorização do Estado da Califórnia para testar veículos de condução autónoma. E como se costuma dizer​, “onde há fumo, há fogo”.

Muito se tem especulado sobre este assunto, e várias vezes a sensação que dá é que existe mais vontade dos “tech enthusiasts” e Apple Fãs, do que da própria empresa liderada por Tim Cook.

   

Vê ainda: Volkswagen apresenta o novo vidro pára-brisas que derrete gelo

No entanto, parece mesmo que o nome da Apple foi adicionado à restrita lista de empresas com esta autorização, o que pode cada vez mais aproximar a ficção à realidade. Nesta lista, figura um nome já bem familiar para muitos Portugueses, a Tesla.

Enquanto pouco ou nada se sabe sobre qual será a incursão da “empresa da Maçã” pelo mercado automóvel, o nome da empresa de Palo Alto é já cada vez mais uma certeza. Com dois modelos atualmente no mercado, o Model S e o Model X, a Tesla conseguiu esta semana atingir um marco importantíssimo com as sua ações a valerem já 312.39 USD/ação sendo já valorizada em 50,9 mil milhões de dólares.

Valor este que como podemos ver pelo gráfico acima, fica já ligeiramente acima da General Motors e é já superior ao da Ford. Mas calma… isto não quer dizer que a Tesla venda já mais automóveis que estas duas gigantes. Nada disso, aliás, por exemplo, a G. M. no primeiro quarter de 2017 vendeu centenas de milhares de carros a mais, que a própria Tesla em todo o ano de 2016.

Mas neste mundo capitalista os investidores parecem acreditar cada vez mais nesta “jovem” promessa da Califórnia, sobre a mão do cada vez mais conceituado e influente, Elon Musk.

Em Novembro do ano passado tive a oportunidade de visitar os Headquarters da Tesla em Palo Alto na Califórnia (a razão disso está sobre um apertado NDA – Non Discloser Agreement, desculpem…). E em apenas um par de horas nos escritórios, percebi que realmente é uma empresa à parte.

A Tesla é a ideologia de um magnata, sem dúvida, mas um daqueles sem medo em aceitar que o mundo em que vivemos pode ser melhor, e até ganhar uns “trocos” com isso.

E muito mais que carros inacreditavelmente fantásticos (atenção que tive a oportunidade de me sentar num Model S e de ver com os mesmos próprios olhos a condução autónoma, bem como sentir o fantástico “Ludacris mode“, se não sabem o que é o, Youtube serve para isso mesmo), Elon Musk vende uma ideologia, uma crença. E as pessoas acreditam naqueles com uma visão acima da média. Aquele gráfico é a prova disso mesmo.

Com isto não vou entrar na onda da Tesla enquanto organização ambientalista, nem da Apple muito menos, porque a bom português, essa teoria é uma grandessíssima “treta”. Mas acredito que se a sua vizinha de Cupertino entrar em jogo, meus amigos… desfrutem porque o futuro é já ali ao lado e vamos ter a sorte de acompanhar esta era de mudança.

Enquanto o senhor se diverte a expandir o mercado com um simples e seco “OK” no Twitter, a Apple opta por uma postura muito mais cautelosa e de quem sabe que pode ainda mergulhar num mar de interrogações.

Ganhe quem ganhar com isto, que no final, sirva também para nos mudar e mudar o nosso planeta. Acho que não será pedir muito…

Outros assuntos relevantes:

Tribunal de Roma acaba de banir a Uber em toda a Itália

Volkswagen Sedric: o primeiro veículo totalmente autónomo da VW

Tesla: “Gigafábrica” é o novo sonho Lusitano

Via9to5 mac
FonteNYTimes
Geek desde um tal LG G2, mas gadget lover de nascimento. Apaixonado pela cultura oriental e pela escrita, há 3 anos que trabalha na área do IT e é rodeado de tecnologia que se sente bem. É fluente em estoniano e tem música, series e running como hobbies. Bora lá ver o que o futuro nos reserva!