São Jorge
São Jorge, um filme de Marco Martins.

São Jorge, um filme de Marco Martins que inicialmente iria mostrar a vida de um boxeur em Portugal e as suas dificuldades no dia-a-dia, acaba por retratar essencialmente a austeridade em Portugal, após a entrada da Troika.

Vive-se o ano de 2011, Nuno Lopes interpreta a personagem de um boxeur desempregado que trabalhava numa fábrica que fechou, afectada pela crise económica que devastava Portugal em dívidas, principalmente nas pequenas e médias empresas. São Jorge pode considerar-se um quase documentário.

Durante o filme aparecem pessoas reais, que vivem nos bairro sociais onde as cenas são maioritariamente filmadas. Falam dos problemas diários por que passam e as dificuldades que têm com baixos rendimentos. A revolta é sentida pelos que lutam por melhores condições de vida,como por exemplo,sindicalistas e trabalhadores das empresa em perigo de fecharem. A partilha desse sentimento é vivida em comunidade.

   

Jorge é quase uma analogia a São Jorge

Jorge quase não participa nesses diálogos, mas sofre sozinho. Jorge é quase uma analogia a São Jorge, santo guerreiro que ora à esperança, à proteção contra o mal, à fé e à coragem acreditando em dias melhores! É um homem duro mas apaixonado e sonhador, que não quer desistir. Após algum tempo sem sucesso nas lutas de boxe decide, em função de arranjar dinheiro para ficar com a então ex-mulher do seu filho, Susana, um trabalho como cobrador de dívidas.

São Jorge
São Jorge, um filme de Marco Martins.

Este tipo de trabalho surge rapidamente e cresce neste tempo da troika em Portugal. É um trabalho que requer frieza, e Jorge, apesar do desespero em arranjar dinheiro para impedir que a mãe do seu filho Nelson regresse ao Brasil, é demasiado sensível para aguentar um trabalho a cobrar dividas directamente aos devedores. Um trabalho que nao tem hora nem local, rígido e agressivo.

O filme é quase todo passado à noite, o que pode caracterizar o tempo obscuro e pesado que se vivia nesta altura em Portugal. O desespero de Jorge pode ser espelhado no suor que escorre pelas costas e que acaba por querer afastar com as mãos firmes a descer pela cabeça, este plano acontece a cada combate que vai travar.

Podia ser Sao jorge a preparar-se para mais uma batalha.”Eu andarei vestido e  armado com as armas de São Jorge”, como o próprio enfatiza. As imagens por vezes em planos saturados e desfocados das ruas mostram a crise que não se reportam só a um bairro, ou a uma cidade, mas a todo um país.

O drama emocional vivido por Jorge, Susana e o filho Nelson poderia ter sido mais explorado, com diálogos mais longos e intensos. Pois a busca de uma vida melhor para os três por Jorge, o amor pelo filho e a paixão por Susana, mereciam ter sido retratados como união pela esperança de tempos melhores.

Os únicos sorrisos esboçados pela personagem de Nuno Lopes, foram sempre na presença de Susana e Nelson. O desfecho aberto do filme num plano médio, é como o futuro incerto de Portugal.

Artigo de Rute Ferreira para a 4gnews

Outros assuntos relevantes:

Huawei P10 Lite já foi apresentado de forma oficial

ASUS dá-te até 110€ pela tua antiga Motherboard e Gráfica

Microsoft começa a bloquear atualizações no Windows 7 e 8.1

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).