Android. Estará a Samsung a começar a sentir a pressão da Xiaomi?

Rui Bacelar
Apple Samsung Galaxy S9 Xiaomi Android Oreo Google
Estará a Samsung com dificuldades em impor-se perante as fabricantes chinesas?

O mercado de dispositivos móveis (smartphones, tablets e afins) começou a apresentar sinais de saturação no final de 2017. Agora, segundo a agência Reuters, o advento de fabricantes Android oriundas da China como é o caso da Xiaomi tem sido o principal obstáculo para a tecnológica sul-coreana. Algo que se tem reflectido nas vendas dos novos Samsung Galaxy S9 e que também tem dado mais quota de mercado à Apple.

Segundo a fonte, citando as opiniões de vários analistas de mercado, os dispositivos Android topo de gama da Samsung não estão a ser tão procurados como outrora. E porquê? Sendo caros, os consumidores voltam-se para apostas low-cost como as providenciadas pela Xiaomi, entre outras.

Vê ainda: Samsung Galaxy S10: Só um dos modelos terá sensor biométrico no ecrã

Referindo-se ao atual trimestre (abril - junho), os analistas avançam uma queda de 2% nos lucros obtidos. Mais uma vez a causa repousa sobre a atração dos consumidores para as soluções económicas providenciadas por fabricantes Android como a Xiaomi.

Já por outro lado, no mercado global de smartphones o domínio da Samsung está agora sob mais pressão da Apple, a 2ª classificada. Algo que se deve sobretudo ao crescimento e superação das expectativas para o mercado norte-americano.

Samsung, Apple, Xiaomi e a evolução do mercado

Este que é o 3º maior mercado mundial de smartphones terá registado um crescimento acima do previsto para a Apple. Algo que se deve sobretudo à inovação presente na atual geração de smartphones de Cupertino. Já por outro lado, os novos Samsung Galaxy S9 e Samsung Galaxy S9 Plus pouco mudaram face à geração anterior. Note-se que as anteriores gerações de iPhone's manter-se-iam bastante fiéis - sobretudo a nível de design - face aos modelos lançados em 2014.

iPhone X Android iOS Samsung Galaxy S9 Apple iPhone X Cnet Android iOS
As previsões dos analistas avançam uma queda nos lucros para a tecnológica coreana.

Em declarações à Reuters, Song Myung-sup da agência HI Investment & Securities afirma que os novos Samsung Galaxy não são tão polarizadores como os iPhone X da Apple. O factor novidade assenta sobre as ofertas da Apple, estando estas a fazer "sombra" à Samsung.

Note-se que o atual Samsung Galaxy S9 foi apresentado em fevereiro de 2018, tendo chegado às lojas a 16 de março de 2018. O terminal em si afirma-se como estando repleto de novidades a nível de software. Já a nível de hardware pouco mudou além da câmara.

Esta realidade deverá fazer com que o novo Samsung Galaxy S9 não supere as vendas do seu antecessor, o S8 lançado em 2017. Algo que terá consequências negativas nos lucros auferidos pela fabricante Android durante o atual trimestre.

Produtos Xiaomi afirmam-se como alternativa low-cost no mercado Android

Além da pressão da Apple, também a Xiaomi tem algo a dizer nesta situação menos positiva para a Samsung. O advento das fabricantes chinesas tem saturado o mercado "mobile" com alternativas custo-benefício / alternativas low-cost.Xiaomi Apple Samsung Galaxy Android

Aqui poderíamos socorrer-nos de várias fabricantes, sendo a Xiaomi o perfeito exemplo desta nova tendência. Com cada vez mais equipamentos que primam pela relação custo-benefício, os consumidores estão naturalmente curiosos. Estão também cada vez mais dispostos a arriscar nestas "marca chinesas".

Xiaomi já é uma das maiores fabricantes Android na Europa

Mais recentemente esta "aposta de risco" passou a ser uma aposta natural e de confiança. Isto à medida que também as fabricantes chinesas melhoraram a qualidade dos seus produtos. Os preços, esses continuaram baixos e competitivos. Algo que não pode ser dito das marcas estabelecidas como a Samsung, Apple, entre outras.

No primeiro trimestre de 2018 a Xiaomi afirma-se como a 4ª maior fabricante mundial segundo a agência Strategy Analytics. De igual forma é já a 4ª maior fabricante na Europa, provando que os consumidores ocidentais estão cada vez mais dispostos a "arriscar".

No nosso mercado vizinho, a Espanha, a Xiaomi já ultrapassou a Apple e até mesmo a madrilena BQ. Neste momento este é o maior bastião da Xiaomi no velho continente, sendo também um dos maiores vetores de expansão, já com escritórios no país.

Xiaomi já ultrapassou a Apple em Espanha

Apesar do incrível caso de sucesso da Xiaomi na Espanha, o mercado global continua a ser dominado pela Samsung. Algo que nos leva novamente à opinião e previsões dos analistas.

Segundo estes, a Samsung registará cerca de 13.3 mil milhões de dólares durante o atual trimestre de 2018. Poderemos ter um crescimento de 5.7% nos lucros face ao período homólogo de 2017. Ainda assim teremos, segundo as previsões, uma contração face ao primeiro trimestre de 2018.

"Samsung Galaxy" continua a ser sinónimo de Android

Mais ainda, as ações da Samsung no mercado de capitais (bolsa), caíram 9% este ano. Algo que poderá provocar novas ondas de receio junto dos investidores. Ainda assim, a marca usufruiu de uma posição de liderança na esmagadora maioria dos mercados.

Aguardamos agora pela publicação do relatório fiscal alusivo ao segundo trimestre do ano. Algo que deverá acontecer em meados de julho.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Apple iPhone 8 domina os smartphones mais vendidos em maio

Huawei Honor Note 10: Imagem mostra-nos como será o smartphone

Xiaomi dá-nos pistas sobre a MIUI 11 enquanto vai distribuindo a MIUI 10

Fonte | via

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).