reebok-liquid-speed-blackonwhite-bottom-left-1

Hoje, uma das mais conceituadas marcas de sapatilhas e calçado desportivo, Rebook, apresentou o seu novo conceito e ideologia de produção. Apresento-vos a Liquid Factory e o novo método de produção que pode mudar radicalmente esta indústria graças a um processo muito semelhante à impressão 3D.

Estas novas sapatilhas são apenas o prelúdio de todo um novo leque de produtos que utilizam tecnologia de ponta, abrangendo a robótica e o software para criar, ou melhor, desenhar as tuas novas sapatilhas numa técnica muito semelhante à impressão 3D. Camada após camada, a sola vai ganhando forma, sendo desenhada com um material líquido criado especialmente para a Reebok.

   

Como se de uma bisnaga se tratasse, o robô vai depositando e desenhando camada após camada, construindo gradualmente a sola da sapatilha em 3D. Esta nova técnica, a Reebok Liquid Speed cria exemplares totalmente únicos, concebidos à medida das exigências de cada consumidor e, de certa forma, personalizáveis consoante o tipo de utilização pretendida.

Esta nova abordagem foi liderada por Bill McInnis, um ex-engenheiro da NASA e que agora lidera o departamento Future da Rebook, encarregado de investigar, desenvolver e aplicar novos métodos e conceitos a esta indústria que pouco mudou durante os últimos 30 anos. Até agora, todas as sapatilhas são feitas da mesma forma, com o recurso a moldes e isto faz aumentar o seu preço.

Este novo processo, Reebok Liquid Speed, permite a construção de uma sapatilha mais eficiente, mais rápida na linha de produção e mais adaptável a diferentes tipos de utilização e morfologia do pé.

Todo este processo está bem ilustrado no vídeo acima e estas Reebok Liquid Speed são a primeira geração de sapatilhas a baptizar o novo método de construção. O resultado? Um calçado que utiliza uma sola e estrutura desenhada em 3D e que consegue propulsionar mais o pé em cada passada. Se queres um par destas Reebok Liquid Speed prepara-te para gastar cerca de 189,50$ (dólares) e terás direito a um par numerado e limitado a 300 conjuntos.

Pessoalmente acredito que há medida que os robôs de produção, o software e os materiais utilizados para desenhar e construir cada saptilha se tornem mais acessíveis este será o futuro da indústria. Um calçado com potencial de ser desenhado especificamente para o teu pé e com materiais que se adaptem e vão de encontro às tuas necessidades.

 

Talvez queiras ver:

Samsung Galaxy S8 com bateria LG?

Moto G4 e G4 Plus serão os primeiros dispositivos a receber o Android Nougat

Instalar a Google Assistant em equipamentos que não os Pixel trará alguns problemas

Viaengadget
Fontebusinesswire
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).