project-ara-phone-14A morte do Projecto Ara foi anunciada em setembro passado pela Google, tirando assim a ficha ao projecto que tentava criar um smartphone verdadeiramente modular e facilmente e que seria construído com base nas tuas necessidades. Pois bem, hoje temos um vislumbro do que teria sido uma unidade comercial deste Projecto Ara graças à Phandroid.

Para quem estava bastante empolgado com este projecto a desilusão foi notória quando a Google decidiu interromper o seu desenvolvimento mas pelo menos agora podem ter um vislumbre daquilo que seria o Projecto Ara na realidade.

De acordo com o pessoal da Phandroid (fonte), o esqueleto metálico deste protótipo mede 152 x 74mm (altura x espessura). Este exoesqueleto suporta um ecrã de 5.46 polegadas com resolução 1080p Full-HD e alguns dos componentes internos que não são removíveis, bem como os conectores dos módulos na sua traseira.
Ora, se 74mm é uma espessura perfeitamente aceitável para um smartphone actual, com os módulos no lugar, esta espessura aumenta para uns impressionantes 12.5mm (impressionantes porque nos trazem de volta a 2004 e ao auge dos telemóveis grossos).

   

Só por aqui vemos logo que o Projecto Ara estava muito longe de produzir algum smartphone sustentável e que gerasse interesse do público. Tirando uns quantos entusiastas de tecnologia, ninguém quereria utilizar um smartphone tão espesso hoje em dia.project-ara-phone-12

Para além disso, o protótipo do Projecto Ara tinha um processador bem potente, o Snapdragon 810 da Qualcomm, para além de 3GB de memória RAM e 5MP para a sua câmara frontal, mais do que suficiente para as tuas selfies. O pior de tudo? Estes componentes que acabei de referir seriam fixos na estrutura principal e como tal não os poderias mudar futuramente.

Caso a indústria adoptasse este novo conceito para os smartphones poderíamos ter hoje várias lojas diferentes dedicadas à venda destes componentes. O Projecto Ara será uma das ideias a ser retomadas num futuro próximo quando a engenharia conseguir dar resposta aos desafios que esta ideologia modular apresenta. Ate lá, ficamos com um vislumbre do que poderia ter sido este Projecto Ara.

Os módulos substituíveis deste Projecto Ara seriam a bateria de 3450mAh, a câmara traseira de 21MP e os 32GB de memória interna. Estes módulos são mantidos no lugar através de imanes especiais que seriam controlados através de uma aplicação própria, incluída no terminal.

Em suma, o Projecto Ara baseou-se no conceito do Phoneblocks, o smartphone modular original que pretendia diminuir o desperdício de componentes eletrónicos e que permitiria ao utilizador final personalizar e ir fazendo os upgrades necessários ao seu equipamento.

Um projecto demasiado vanguardista e condenado ao fracasso devido às limitações atuais da indústria e da engenharia?

Talvez queiras ver:

Os números da Kantar voltam a não ser os mais animadores para os Windows Phone Users

Dell Stack é o smartphone Windows com processador Intel referido anteriormente por Evan Blass

Smartphone Windows com processador Intel é a “sugestão” de Evleaks


ViaPhonearena
FontePhandroid
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).