Porque é que troquei o meu Galaxy S7 pelo Huawei P9

Filipe Alves

Ser um tech blogger para além de trabalhoso tem também os seus benefícios. É verdade que passamos a vida a falar de tecnologia e testar nova tecnologia, o que é bem bacano, mas as horas à frente de um computador são também prejudiciais à nossa plena sanidade.

Quando testamos gadgets utilizamos os equipamentos durante uma ou duas semanas, dependendo do timing para review, o que nos faz pousar o nosso equipamento pessoal de lado. Podes então imaginar o sentimento de alívio quando voltamos para o smartphone que escolhemos para carregar a nossa vida com tudo como gostamos no sitio certo.

Vê ainda: nossos Podcast que o TouchWiz da Samsung estava bem melhor neste Samsung Galaxy S7 do que nas antigas versões Galaxy, mas a EMUI consegue dar-me uma experiência tão "iOS" que acaba por ser mais rápida, funcional e atractiva. Só o facto de "deslizar para baixo" em qualquer parte do menu para procurar uma app já chega para me convencer.

Sinto falta do carregador sem fios, é verdade, e se fosse um amante de fotografia e vídeo certamente o S7 era mais indicado, embora o P9 tenha uma alegada "Leica". Mas para alguém que dê prioridade ao email, fluidez do sistema, boa autonomia e design super elegante, considero o Huawei P9 uma opção mais válida.

Estas razões estão longe de ser aquelas que que certamente esperavas ouvir, isto porque, tecnicamente o Galaxy S7 é superior em todos os aspectos, mas finalmente a Huawei conseguiu desenvolver um produto que me faz ter vontade de ser o dono e constante utilizador, pelo menos até à saída do iPhone 7.

Talvez queiras ver:

    • Samsung Galaxy Note 7 deixa-te escolher a resolução do ecrã em prol da sua autonomia
    • Operadora Chinesa refere iPhone 7 Plus com dual-câmara e cor azul
    • Samsung Galaxy Note 7: Vê aqui em direto o lançamento
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.