comscore comscore
Home Destaque

Confere o que tens de fazer quando o PC não arranca

Quando o PC não arranca o melhor é não entrar em pânico. Existem algumas medidas a tomar para restaurar o funcionamento da máquina, mas se porventura isso não resultar, a probabilidade de se conseguir, pelo menos, recuperar os dados é muito elevada.

Vamos explicar quais as ações a tomar para tentar restaurar o funcionamento do sistema no caso de um acontecimento desta natureza. Por vezes as soluções são mais simples do que pensamos, e há pequenos gestos que permitem poupar dinheiro e dores de cabeça.

PC não arranca; checklist para ter por perto

Devemos procurar começar o diagnóstico, eliminando primeiro as partes físicas que podem constituir um potencial problema e só depois evoluir para questões mais específicas e relacionadas com os componentes do computador ou até o software:

  1. Verificar alimentação elétrica
  2. Desligar periféricos, em especial USB
  3. Desligar todos os componentes não essenciais
  4. Arrancar em modo de segurança
  5. Restaurar o Sistema Operativo

Se nada disto resultar, então o ideal é mesmo recorrer a estabelecimentos especializados que possam tratar do assunto da melhor forma possível.

Quando a eletricidade é a fonte do problema

No caso de um simples pico de corrente, o computador pode não arrancar por serem acionados os sistemas de proteção elétrica. Devemos assim desligar o mesmo da tomada e pressionar o botão de energia, de forma a garantir que a corrente que resta nos circuitos é eliminada.

Se estivermos a falar de um desktop, normalmente há um ou mais LED que indicam se há ou não eletricidade na motherboard, sendo assim bastante fácil de perceber quando não há mais energia a circular pelos componentes.

Aqui pode também ser importante confirmar as ligações no interior do sistema. Cabos ATX ou CPU (entre outros) mal conectados, podem ser os responsáveis por não conseguirmos trabalhar. É importante certificar que tudo está solidamente encaixado no devido lugar, sem esquecer os conectores do painel frontal.

Menos habitual, mas também importante, é o problema originar nos botões de ligar/desligar ou reset do computador. Se tiverem uma sensação tátil fora do normal (demasiado solto; sem que se sinta um clique; não retornam à posição inicial quando pressionados) convém verificar com atenção e agir em conformidade.

No caso de um portátil, normalmente os carregadores fazem sempre alguma acumulação de energia, sendo frequente desligar o transformador e o LED (quando existe) que indica que o mesmo está em funcionamento permanecer aceso.

Também frequente é termos os cabos que alimentam a máquina danificados. Nem sempre há tempo (e cuidado) na altura de arrumar e com o passar do tempo estes acabam por vincar aqui e ali.

É, por isso, normal o surgimento de pequenas quebras nos condutores, que acabam por não permitir a passagem de corrente nas melhores condições. Se for este o caso, e dependendo da disponibilidade, há que testar o alimentador noutra máquina, mas atenção à voltagem e potência.

Apêndices problemáticos

Por vezes deixamos uma simples pen ou disco rígido ligados no computador, e pelas definições da BIOS (ou UEFI), a máquina tenta arrancar por esse dispositivo.

Ora se apenas lá temos as fotos da última festa de Natal, vamos ser brindados com um ecrã preto e uma mensagem de erro, em vez do nosso querido ambiente de trabalho.

Podemos ter igualmente um componente interno que avariou e que está a comprometer o resto do sistema. Remover tudo o que não é essencial, incluindo a memória RAM, pode ajudar a perceber a origem do problema.

No caso dos desktop, é habitual ouvirmos uma série de bips, ou em alternativa termos um painel com LED de diagnóstico, possibilitando a identificação de erros no arranque.

Quanto à RAM, quando possuímos mais do que uma DIMM, devemos testar alternadamente e até trocar de slot. Quando a memória tem uma anomalia, o sintoma mais usual são os ecrãs azuis e muita instabilidade no sistema, no entanto podemos ter um problema no slot que estamos a usar ou até no controlador de memória.

Remover a RAM e alterar a sua posição pode ajudar a identificar estas questões, mas a resolução implicará alguém com conhecimentos avançados.

Se quiseres saber como escolher uma memória compatível com a que avariou, temos algumas dicas para partilhar contigo.

Para componentes como placas de som ou outras de expansão, é mais usual a máquina não arrancar, por isso quando voltamos a ligar o PC inserindo esse componente problemático, conseguimos identificar o causador com muita segurança.

PC não arranca por causa do software

Agora que já eliminamos a parte física da equação, resta a problemática do software. O computador não arrancar pode ser algo relacionado com uma atualização falhada, um ficheiro de sistema corrompido ou até um controlador demasiado verde no sistema.

O primeiro passo é procurar o arranque em Modo de Segurança. Sendo uma opção de diagnóstico, tanto em Windows como noutros sistemas como macOS, o conceito assenta em isolar o núcleo do sistema de áreas complementares mas não essenciais.

Para o fazermos, no Windows, basta pressionar a tecla F8 no arranque e depois escolher a opção 4. Já no macOS, no arranque, mantemos pressionada a tecla Shift, após ouvirmos o som de inicialização, largando depois a tecla quando surge o logo da Apple.

Assim, o sistema operativo é carregado apenas com os serviços e controladores essenciais, permitindo perceber se a máquina funciona normalmente quando nada mais há em execução. Sendo esse o caso, podemos depois, avançar para um restauro, selecionando uma data anterior à daquela em que nos deparamos com o problema.

No caso da Apple a opção a considerar é a Time Machine, pelo que é sempre boa ideia configurar os backups nesta plataforma.

Load"" nos finais dos anos 80 foi como tudo começou. Depois foi basicamente apanhar a onda e não mais largar as tecnologias. Smartphones, notebooks, gadgets, desenvolvimento, esports. Até alguma electrónica. Profissionalmente ou por mera curiosidade, as TIs são algo quase simbiótico.