O que esperar da Huawei em 2020? (opinião)

António Guimarães

O ano de 2020 chegou mas a tecnologia não para. Este ano irá marcar certamente o avanço dos dados móveis da quinta geração (5G) sendo que uma das inovadoras principais nesse campo é a Huawei. Além disso, a Huawei é a segunda maior vendedora de telemóveis a nível mundial.

Contudo, o que será o ano de 2020 para a gigante de Shenzhen? O ano de 2019 não foi simpático para Huawei devido ao banimento por parte dos Estados Unidos, tendo como consequência a perda de tecnologias americanas como os serviços da Google. A situação teve um impacto negativo nas vendas da empresa, apesar de sucesso firme no território asiático.

Afinal, Portugal vai ter o Mate 30 Pro

Foi confirmado hoje que a Huawei vai comercializar o Mate 30 Pro em terras lusas. O poderoso telemóvel teve um lançamento bastante atribulado, devido a ser o primeiro equipamento da marca a chegar desprovido de serviços Google (Gmail, YouTube, etc).

A Huawei fez um esforço enorme em 2019 para conseguir criar uma alternativa ao sistema operativo Android, optando por investir nos seus próprios serviços. Desta forma, o Huawei Mate 30 Pro é o primeiro telemóvel da marca a chegar com os HMS (Huawei Mobile Services).

app glaery

O que são os Huawei Mobile Services?

Os chamados HMS (Huawei Mobile Services) são um pacote de aplicações cuja intenção é substituir as apps mais utilizadas da Google, incluindo navegação e mensagens. De forma semelhante à Samsung e outras marcas, a Huawei pretende criar um ecossistema mais independente.

Os HMS incluem o Huawei ID, onde o utilizador pode gerir a sua conta pessoal Huawei em todos os dispositivos. Com o Huawei Mobile Cloud, o utilizador tem acesso a fotografias e vídeos, sincronizados no telemóvel e também nos computadores Huawei como o Matebook X.

huawei

Sem dúvida que o serviço mais relevante é a Huawei AppGallery. Esta galeria disponibiliza milhares de aplicações existentes na Google Play Store. Devido ao banimento dos Estados Unidos, esta é uma peça importante para que os equipamentos da marca não sejam obsoletos.

A Huawei investiu também nos programas de desenvolvimento, incentivando programadores a criar apps para a AppGallery, com mais incentivos que a Google Play Store. No entanto, o "desmame" dos serviços Google será muito difícil de aceitar para a maioria dos consumidores.

Mate X e a invasão dos dobráveis

Apesar dos problemas, a Huawei tem feito de tudo para acompanhar as mais recentes tendências em tecnologia. Uma delas são os telemóveis dobráveis, um mercado inaugurado pelo Samsung Galaxy Fold e o Huawei Mate X, os primeiros exemplos deste novo mercado.

Tratando-se de um produto algo experimental, tanto a Huawei como a Samsung já estão a preparar sequelas para os seus dobráveis. No caso da Huawei, a marca irá lançar dois modelos este ano. Em primeiro lugar o Mate Xs, que é uma versão ligeiramente melhorada com suporte a 5G e qualidade de construção superior.

mate x

Em segundo lugar teremos o Mate X2, que será a verdadeira sequela ao primeiro dobrável da marca. É rumorejado que este telemóvel trará um design diferente, mais parecido com o Fold da Samsung. Uma decisão lamentável pois o design original do Mate X foi considerado superior ao da Samsung.

O banimento dos Estados Unidos continua

Finalmente temos a questão que amaldiçou a marca em 2019: o banimento por parte dos Estados Unidos. Alimentado por suspeitas de espionagem e uma tensão crescente entre a China e Estados Unidos nas taxas de alfândega, a Huawei sofreu bastante.

Embora tenha tido um bom desempenho em vendas no território doméstico, a Huawei perdeu bastantes vendas ao ficar sem acesso aos seus negócios com empresas americanas, principalmente a Google. A própria empresa admitiu o obstáculo, indicando que, caso contrário, 2019 teria sido o ano em que a empresa ultrapassaria a Samsung de uma vez por todas.

Infelizmente, uma resolução entre os Estados Unidos e a China não parece estar perto de chegar. Até essa questão se resolver, duvido que o governo americano vá "dar o braço a torcer" e deixar a Huawei comprar tecnologias às empresas americanas de forma livre novamente.

Editores 4gnews recomendam:

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.