5 grandes novidades do Xiaomi Mi Watch

Rui Bacelar

O Xiaomi Mi Watch foi apresentado a 5 de novembro e estas são as maiores novidades! A marca tornou-se numa das maiores fabricantes de wearables com à linha Mi Band e agora temos um relógio inteligente capaz de rivalizar com o Apple Watch.

Fica a conhecer melhores aspetos deste smartwatch que traz um design quadrangular, botão de coroa redondo e várias pulseiras em diferentes cores, tamanhos e materiais. É o relógio perfeito para o ecossistema de produtos Xiaomi.

1. O preço é um enorme trunfo do Xiaomi Mi Watch

Xiaomi

Fiel à política da Xiaomi, o Mi Watch apresenta um preço muito competitivo e uma relação preço / qualidade extraordinária. O relógio está disponível em duas versões, a mais económica custando o equivalente a 185 dólares, ou 166 euros, na China.

Há ainda uma versão mais exclusiva, com o ecrã protegido por vidro de safira e a caixa / corpo construído em aço, com uma pulseira em aço inoxidável. Chega posteriormente ao mercado por cerca de 285 dólares, ou 256 euros, na China.

Comparativamente, o Apple Watch Series 5 começa nos 459 euros, algo que coloca em evidência o preço agressivo do Xiaomi Mi Watch face ao produto e marca líder no mercado dos wearables.

2. Traz um AMOLED de 1,78 polegadas e caixa de 44 mm

Xiaomi

O relógio apresenta um ecrã de 1,78'' com tecnologia AMOLED e a possibilidade de estar sempre ligado, o always-on. A sua caixa é de 44 mm e a traseira é revestida por cerâmica. Temos um só botão, além da coroa, na lateral direita do Xiaomi Mi Watch.

A lateral esquerda apresenta o altifalante único, além do microfone. Temos ainda conetividade Bluetooth, NFC e eSIM que permitirá ao smartwatch funcionar sem ter que estar emparelhado com um telemóvel.

É construído em alumínio ou aço inoxidável

caixa

Os materiais utilizados na sua construção são o alumínio, na versão base, ao passo que a versão mais cara utiliza o aço inoxidável, além do mais robusto vidro de safira para proteger o ecrã. Já as pulseiras podem ser em borracha (colorida), ou aço.

A escolha de pulseiras é uma das principais opções de personalização, com a Xiaomi a disponibilizar várias cores para a versão em borracha anti-alérgica e fivela metálica. De qualquer modo, o utilizador pode optar por outras à sua escolha.

Em traços gerais o seu design é muito similar ao do Apple Watch, ambos retangulares com cantos arredondados e com uma coroa para navegar pela interface. As dimensões físicas do produto acabam também por ser muito idênticas à do seu rival.

3. Tem uma grande bateria de 570 mAh

Xiaomi
A bateria ocupa um grande espaço no smartwatch

A autonomia dos relógios inteligentes ainda é um dos seus maiores inconvenientes, algo que foi destacado pela Xiaomi durante a apresentação do produto. Posto isto, no Mi Watch temos uma das maiores bateriais algumas vez utilizadas nestes produtos.

São 570 mAh de capacidade, superando os principais rivais neste mercado. Em jeito de comparação, temos 455 mAh no Huawei Watch GT2 (46 mm), 340 mAh no Galaxy Watch Active 2 (44 mm) e 296 mAh no Apple Watch Series 5.

O Xiaomi Mi Watch tem uma bateria 92% maior que a célula energética do Apple Watch. Isto traduz-se em até 36 horas de utilização, ou dois dias de uso normal com uma única carga, de acordo com os dados oficiais.

4. Usa o Wear OS da Google personalizado pela Xiaomi

Xiaomi
O Wear OS foi desenhado e desenvolvido para os wearables

O sistema operativo Wear OS da Google é aqui personalizado pela Xiaomi, sendo a primeira vez que tal ocorre. A fabricante chinesa preparou já 40 aplicações inspiradas na MIUI para este relógio, além de ter uma loja própria de apps.

A tecnológica abriu a sua loja a qualquer programador interessado, na esperança de ver assim novas apps dedicadas ao Mi Watch. Além disso, o relógio conta já com todas as funcionalidades de um fitness tracker avançado para prática desportiva.

Xiaomi

O Mi Watch pode registar e monitorizar o ritmo cardíaco do utilizador, o índice de oxigénio no sangue, acompanhar os padrões de sono, calcular a energia gasta (calorias), os passos dados, além de poder ser utilizado na piscina, por exemplo.

Podemos também controlar as luzes e dispositivos inteligentes do ecossistema Xiaomi, sincronizados pela aplicação Mi Home, através do relógio. Algo que gradualmente se pode expandir a outros sistemas como o Phillips Hue, entre outros.

A Xiaomi incluiu ainda a sua XiaoAI, a assistente virtual da marca otimizada para a China. Para os mercados globais poderá utilizar a Google Assistant tendo em conta o sistema operativo utilizado - Wear OS.

5. O Mi Watch conta com o Snapdragon Wear 3100 4G

Xiaomi

O processador escolhido pela Xiaomi foi o Snapdragon Wear 3100 4G, o modelo mais poderoso da Qualcomm, desenvolvido de raíz para os wearables. Tem um total de 4 núcleos Cortex A7 com uma frequência máxima de processamento a 1,2 Ghz.

Destaca-se ainda por já suportar a conetividade de rede 4G LTE, sendo o primeiro relógio inteligente a utilizar esta variante do processador em questão, algo que também o torna independente de um telemóvel ao poder usar cartão eSIM.

No seu interior temos também 1 GB de memória RAM, além de 8 GB de armazenamento interno. Note-se ainda que as especificações técnicas são as mesmas em ambas as versões do relógio inteligente.

O Xiaomi Mi Watch partilhou o palco com o novo telemóvel Mi Note 10 com várias novidades e que está a caminho da Europa.

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.