Nexus e Motorola: As Duas Faces

António Guimarães

Existe um certo paralelo entre a gama Nexus e a Motorola. Em 2010 tivemos o Nexus One feito pela HTC, o primeiro aparelho Nexus. A Motorola apostou no mercado smartphone em 2009 com o Motorola Droid. Em termos de especificações, eram e são smartphones semelhantes no ecrã e na câmara, tendo como grande diferença interna o processador. No Nexus One tínhamos um 1GHz de força Snapdragon e no Droid um Cortex A-8 de 600 MHz.

Fisicamente o Motorola Droid exibia ainda um teclado deslizável QWERTY enquanto que o Nexus One experimentava com a trackball. Ambas características ironicamente usadas pela Blackberry também estando o teclado QWERTY presente no novo BQ Aquaris 4.A5 cujo objectivo é aparelhos de baixa gama com specs média gama e actualizações recorrentes, parece-me que a gama Nexus perdeu-se um pouco na ideia original. Certamente por isso é que olho para Motorola com esperança. O Moto E e o Moto G são excelentes aparelhos que mantém vivo o objectivo de dar ao consumidor aparelhos de confiança, com boas características a um preço acessível e principalmente actualizações. De certa forma a Google "apadrinha" os aparelhos Moto graças às actualizações regulares. O meu daily driver é o Moto G 2014 e não podia estar mais satisfeito. Android stock Lollipop (chegada do Marshmallow em breve), 1 GB de RAM que raramente me dá soluços e com a possibilidade de expandir a memória por cartão SD.

Dito tudo isto, acredito que dado ao desvio da Nexus em direcção à conquista do mercado premium, a Motorola é a melhor opção para os portugueses que querem o melhor do Android a um preço entre 100-200€, com direito a actualizações directas da Google.

Deixem a vossa opinião nos comentários! Acham que a Nexus se perdeu no caminho? Consideram a Motorola uma alternativa?

Talvez queiras ver:

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.