xcvbxcv
Existe um certo paralelo entre a gama Nexus e a Motorola. Em 2010 tivemos o Nexus One feito pela HTC, o primeiro aparelho Nexus. A Motorola apostou no mercado smartphone em 2009 com o Motorola Droid. Em termos de especificações, eram e são smartphones semelhantes no ecrã e na câmara, tendo como grande diferença interna o processador. No Nexus One tínhamos um 1GHz de força Snapdragon e no Droid um Cortex A-8 de 600 MHz.

Fisicamente o Motorola Droid exibia ainda um teclado deslizável QWERTY enquanto que o Nexus One experimentava com a trackball. Ambas características ironicamente usadas pela Blackberry também estando o teclado QWERTY presente no novo Blackberry Priv.

moto droid e nexus one

   

Ambos os smartphones vieram com o Android 2.0 Eclair mas só o Nexus One é que fez o salto até ao 2.3 Gingerbread marcando logo a regra que a Google eventualmente colocou nos aparelhos Nexus: dar actualizações pelo menos até 18 meses após o lançamento do aparelho.

Mas onde é que eu quero chegar com isto? Muitas pessoas dizem que o Nexus 5 foi o último smartphone da gama que manteve o “espírito” do projecto. Ao longo dos anos a Google sempre se orgulhou de que os aparelhos Nexus tinham specs de alta gama com preços média gama. Dois aparelhos que conquistaram o mercado foram o Nexus 5 e o tablet Nexus 7 (2013) que continuam a receber actualizações e continuam a ser aparelhos de topo mantendo um preço bem longe dos típicos flagships.

E agora actualizando para 2015, temos o Nexus 6, Nexus 9 e os vindouros Nexus 6P e Nexus 5X que estão longe de ser pechinchas. O Nexus 6 chegou cá a Portugal com um preço de 649€, o que não me admirou muito pois o Nexus 5 andou cá pelos 500€ enquanto que o preço original foi de 350 dólares. Tudo bem, não esperava uma conversão 100% igual mas considerando que o aparelho é o mesmo e que o dólar valia bem menos que o euro na altura, é simplesmente uma aldrabice. Se o Nexus 7 2013 esteve em Portugal por 200-229€ que corresponde ao preço original porque não o resto? Enfim.

A gama Nexus está agora a caminhar para território flagship e embora entretanto a Google tenha começado o projecto Android One, com aparelhos como o BQ Aquaris 4.A5 cujo objectivo é aparelhos de baixa gama com specs média gama e actualizações recorrentes, parece-me que a gama Nexus perdeu-se um pouco na ideia original.
moto E GCertamente por isso é que olho para Motorola com esperança. O Moto E e o Moto G são excelentes aparelhos que mantém vivo o objectivo de dar ao consumidor aparelhos de confiança, com boas características a um preço acessível e principalmente actualizações. De certa forma a Google “apadrinha” os aparelhos Moto graças às actualizações regulares. O meu daily driver é o Moto G 2014 e não podia estar mais satisfeito. Android stock Lollipop (chegada do Marshmallow em breve), 1 GB de RAM que raramente me dá soluços e com a possibilidade de expandir a memória por cartão SD.

Dito tudo isto, acredito que dado ao desvio da Nexus em direcção à conquista do mercado premium, a Motorola é a melhor opção para os portugueses que querem o melhor do Android a um preço entre 100-200€, com direito a actualizações directas da Google.

Deixem a vossa opinião nos comentários! Acham que a Nexus se perdeu no caminho? Consideram a Motorola uma alternativa?

Talvez queiras ver: