Motorola Moto Defy é oficial: smartphone todo-o-terreno chegou

Bruno Coelho
Comentar

São muitos os utilizadores que procuram um smartphone robusto. Seja pela natureza do seu trabalho ou atividades, ou simplesmente porque querem algo durável. A Motorola parece estar atenta a isso e lançou o Moto Defy.

Este modelo tem especificações modestas, e aposta maioritariamente na robustez. O ecrã é um painel IPS LCD com 6,5” polegadas e resolução HD+. Mas conta com proteção Corning Gorilla Glass Victus com 0,7 mm e ainda proteção extra de 0,5 mm contra quedas.

motorola moto defy

No seu interior podemos encontrar o pouco vistoso processador Qualcomm Snapdragon 662. Este vem acompanhado de 4GB de memória RAM, e ainda 64GB de armazenamento expansíveis com possibilidade de expansão via microSD.

Podes esperar ainda uma consistente bateria de 5000mAh, com carregamento de 20W. Ao nível fotográfico temos três câmaras traseiras, mas não esperes que esse seja o maior destaque. A acompanhar o sensor principal de 48MP estão os sensores macro e de profundidade. À frente encontramos uma câmara de 8MP incorporada na notch em forma de gota.

motorola moto defy

Embora a Motorola dê a cara pelo terminal, é bom ter em conta que este foi produzido pelo Bullit Group. Este é o mesmo que fabrica os produtos da CAT, que bem conhecemos como robustos.

Certificação IP68 e militar MIL-STD-810H garantidas no Moto Defy

Podes esperar certificação IP68 no Moto Defy, bem como certificação militar MIL-STD-810H. Na prática, podes esperar resistência a quedas bem superior ao comum telemóvel.

motorola moto defy

Para um smartphone lançado em 2021 parece inacreditável, mas o Moto Defy vai chegar aos primeiros compradores com Android 10. Embora a marca prometa atualização posterior para o Android 11.

Estará disponível em Portugal no início de agosto por 329 € em preto e verde. Vem acompanhado de uma correia para o poderes prender ao pulso para maior segurança.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.